PROTESTO

Ex-funcion

Trabalhadores alegam que foram despedidos e não ter recebido direitos trabalhistas
Por: Redação | Categoria: Arquivo | 08-02-2017 00:00 | 1026
Foto de

Funcionários que trabalharam na Sadesul Construções e Projetos Ltda., empresa terceirizada que emprega operários para a instalação de um trecho da linha hidrelétrica da Usina Estreito no município de Ibiraci em direção a de Belo Monte, e passa pelo município de São Sebastião do Paraíso, protestaram ontem de manhã (7/2), reivindicando direitos trabalhistas.



A manifestação aconteceu em frente à sede da empresa, no Parque Industrial. Segundo informações foram 43 funcionários despedidos, dos quais oito são de São Sebastião do Paraíso. Os demais foram contratados de estados como Pernambuco e Sergipe.



O ex-funcionário da empresa, Donizete Aparecido Nogueira, 43 anos, disse ter trabalhado cerca de cinco meses e alegou que ao ser mandado embora, assim como os demais funcionários, ficou acordado com a Sadesul que depois de 10 dias, eles pagariam a rescisão. A reportagem do Jornal do Sudoeste esteve no local e conversou com os trabalhadores, que alegaram, inclusive, já estarem passando necessidades e preocupados com os familiares que moram longe..



Alguns funcionários alegaram que ao chegar a Caixa para fazer o saque do Fundo de Garantia, não havia dinheiro em conta. “Foram feitas muitas promessas e, enquanto isso, quem é pai de família, que está com suas famílias em outro estado, fica preso aqui, sem ter como voltar embora. E nós, que moramos aqui em Paraíso, ficamos com as contas vencidas, sem receber os dias trabalhados e passando necessidades”, desabafa o ex-funcionário.



Edson Fernandes Cavalcante Villa Nova, natural da cidade de Brejo da Madre de Deus (PE), disse que está há cinco meses no município, tendo sido contratado para trabalhar no trecho de Paraíso até Ibiraci e que diante de toda essa situação não tem como ir embora.



No local, a reportagem do “J.S.” tentou entrar em contato com algum responsável pela empresa, mas não foi atendida, também não foi fornecido nenhum telefone para contato. Até o fechamento desta matéria, na manhã de terça-feira (7/2), não havia tido um acordo entre os funcionários e a Sadesul; os ex-funcionários também chegaram a fechar a saída na empresa, alegando que só saíram do local quando fosse respeitado o acordo.