LAGOAS SAN GENARO

C

Primeira ação partiu de professor que quer solução para as lagoas no San Genaro
Por: Redação | Categoria: Arquivo | 10-02-2017 00:00 | 423
Reuni
Reuni Foto de

Aconteceu na tarde de quinta-feira (9/2), na Câmara Municipal de São Sebastião do Paraíso, reunião entre vereadores e moradores do bairro San Genaro, que se organizaram para criar uma comissão a fim de buscar uma solução junto ao município para resolver a situação vivenciada por habitantes daquele bairro. Entre as sugestões, foi pontuado a possiblidade de ser construída uma área de lazer, onde hoje existe a segunda lagoa no bairro, tal como foi feito com a primeira, às margens da Santa Luzia.



A iniciativa partiu do professor de filosofia, Thales Fernando da Silva, de 21 anos, que em contato com o presidente da Câmara, Marcelo Morais (PSDB), foi orientado a realizar um abaixo assinado e buscar apoio junto aos moradores do bairro. Segundo Thales, a principal reivindicação é em relação a situação vivenciada no local. O estudante conta que as lagoas se tornaram um problema de saúde pública, representando riscos, além da disseminação de doenças, alagamento em época de chuva.



No entanto, segundo ele, houve dificuldade nesse contato, e alguns moradores teriam chegado a dizer que a situação ali é a mesma há 30 anos. O jovem também ressaltou a importância de despertar da população à participação da vida política para que haja mudança na realidade, e assim poder alcançar os objetivos desejados.



“Nós tivemos essa abertura na Câmara e, de início, era o que queríamos. Conseguindo um diálogo com a prefeitura é uma via de acesso que temos para atingir o objetivo. Eu acredito que hoje nós temos uma integração política para realizar esse projeto, mas eu acredito também que, mais do que tudo, vamos precisar de uma pressão popular junto a prefeitura, para que a partir do momento que o projeto for aprovado, nós consigamos realiza-lo. Mais do que esperança, nós temos expectativa”, destaca.



Sobre os desafios de conseguir apoio popular, o professor conta que não há uma cultura de engajamento político no que se diz respeito à iniciativa popular.



“Quando a gente fala de um projeto - que costuma ser usado de ‘plataforma política’ para promessa, como é o caso das represas no San Genaro –, quando propomos um projeto de revitalização naquele lugar por meio de uma iniciativa popular, e vamos convidar população, sentimos um certo receio desses moradores, que não acreditam nesta possibilidade, de um lugar que está há 30 anos sofrendo abandono político, ser mudado. Hoje estamos buscando essa integração, e mais do que o desafio de convidar a população para participar dessa revitalização, é um primeiro passo para se criar uma cultura de iniciativas populares”, completa o professor.



O vereador Marcelo destaca que existe uma vontade da nova Câmara em realizar esses trabalhos juntamente a população, para que juntos se possam ter resultados eficientes. Ele comenta ainda a situação da segunda lagoa no bairro San Genaro. “É nítido que aquela lagoa representa riscos de saúde pública; se um peixe contaminado vir a causar doença, ou até mesmo um mosquito, as pessoas, consequentemente, vão querer cobrar das autoridades”, destaca.



“Eu não vejo um empenho das pessoas que poderiam dar uma resposta rápida em relação àquela lagoa se mexendo para mudar a realidade. É algo que queremos que parta da sociedade e estamos colocando a Câmara à disposição para estarmos juntos. Em todos os nossos atos temos buscado dar uma ampla participação à população, queremos mostrar que a população tem que estar presente também”, completa.



O advogado e presidente do clube de futebol americano de São Sebastião do Paraíso, Paraíso Miners, Augusto de Pádua, também esteve presente e se mostrou sensível a causa, apesar de não morar no local. “Recebi o convite para participar da reunião, representando o time de futebol americano da cidade. Foi uma reunião democrática, deu-se a palavra a todos envolvidos, mas faltou direcionamento”, comenta.



O atleta conta que não importa se a mudança no local é para benefício do Miners. “O time tem 60 atletas que querem o bem da cidade, o desenvolvimento dela, quer que haja participação popular para, não somente a construção de um espaço na segunda represa, mas para reivindicar melhorias para a Comarca; eu, a direção, o time e a comunidade devemos estar presentes”, completa o atleta.