BRASÍLIA

Gilberto Amaral

Por: Redação | Categoria: Brasil | 28-02-2017 09:02 | 1002
Blairo Maggi
Blairo Maggi Foto de Marcelo Camargo/Agência Brasil

PAÍS À DERIVA



 



Em entrevista ao jornal Valor Econômico, para jornalista Mônica Gugliano, o comandante do Exército, general Villas Bôas, falou sobre a grave crise na segurança pública que o Brasil está vivendo.



 



Do desgoverno social no sistema prisional onde detentos em Manaus, Boa Vista e Natal foram trucidados em brigas de facções, ao caos em Vitória, que resultou na paralisação da PM, passando pela crescente instabilidade no Rio, a situação está tão crítica que homens das Forças Armadas tem sido necessários para retomar o controle.



 



O comandante do Exército não deixou também de falar sobre a Lava-Jato, defendendo a operação. “É a grande esperança que se produza no país alguma mudança nesse aspecto ético que está atingindo nosso cerne, que relativiza e deteriora nossos valores.”



 



Para o general comandante, a segurança pública no Brasil é uma calamidade. Com dados, elencou os motivos de sua angústia: hoje morrem cerca de 60 mil pessoas por ano assassinadas, cerca de 20 mil pessoas desaparecem por ano no país, 100 mulheres são violentadas por dia. 



 



Nota deste colunista



 



Excelente a matéria de Mônica Gugliano para o Valor, quando ela consegue pela primeira vez ouvir a palavra do Exército Brasileiro, de uma parte da calamitosa situação política e judiciária pela qual passa o país. Pela primeira vez o meu amigo general Villas Bôas falou sobre o que se passa no Brasil.



 



21 de fevereiro



 



Neste aniversário de 72 anos da Tomada do Monte Castelo, o Exército Brasileiro rende justa homenagem aos bravos pracinhas da Força Expedicionária Brasileira (FEB) que, em território estrangeiro, evidenciaram sobejamente, exemplos de audácia, bravura, desprendimento, espírito de cumprimento de missão e sacrifício. Valores que são imprescindíveis ao Soldado brasileiro. Os paraisenses e este colunista têm o orgulho de ter o cabo Colombaroli, como um dos expedicionários dessa batalha na Itália.



 



Vai loooonge...



 



Nem bem completou um semestre de governo, vencendo em primeiro turno para prefeito da paulicéia desvairada, fato inédito, João Dória estreia com louvor na carreira política. Ele já está presente nas pesquisas para presidência da República. O primeiro lugar em intenções de voto é Lula. Nesta agora, de um instituto de pesquisas, Dória já conta da lista com 11 pontos, acima de alguns notáveis como Ciro Gomes. Eu já disse e repito: “Esse menino vai loooonge...”. 



 



Brasil já pode importar...



 



A importação de café robusta pelo Brasil está liberada, depois que uma instrução normativa com requisitos fitossanitários publicada no DOU, disse o ministro da Agricultura, Blairo Maggi (foto). As importações desse grão, inéditas até o momento no Brasil, um grande exportador, foram um pedido da indústria, principalmente de café solúvel, que reclama da escassez de matéria-prima após forte seca afetar cafezais do Espírito Santos. “Teremos todo o cuidado com relação a pragas. Se alguma coisa aparecer, tenham certeza que esse café não será descarregado no Brasil”, disse o ministro.



 



...café robusta



 



“A situação em que nos encontramos é uma situação bastante delicada de falta de produto no mercado interno, que tem levado as indústrias de café solúvel... a uma extrema dificuldade, a ponto de termos perdido um mercado muito grande em janeiro e fevereiro, porque o café fora do Brasil está bem mais barato que aqui internamente”, disse Blairo, após uma cerimônia oficial na capital paulista. Além de líder na exportação de café da variedade arábica, o país é o maior exportador mundial de café solúvel.



 



Superior Tribunal Militar...



 



O ministro José Coêlho Ferreira (foto) foi eleito para presidir o STM no biênio 2017/2018. O magistrado, que é o decano daquela Corte, é civil e ocupa uma das três cadeiras destinadas a advogados, o chamado quinto constitucional. Atualmente exercendo o cargo de Ouvidor da Justiça Militar da União, o ministro declarou ser a transparência sua maior preocupação na administração que se inicia em março, com sua posse, no dia 16. Para o magistrado, a nova realidade do país exige uma gestão transparente, o que continuará sendo buscada nessa Justiça bicentenária.



 



...elege novos dirigentes



 



O ministro José Coêlho citou como exemplo dessa necessidade, a decisão recente do Conselho Nacional de Justiça em que a ministra Carmén Lúcia defendeu o princípio da publicidade total na vida pública. Na mesma eleição secreta, o ministro Lúcio Mário de Barros Góes (foto), magistrado oriundo do Exército Brasileiro, foi eleito para o cargo de vice-presidente.



 



Feijoada do Amaral



 



O meu amigo “primo” Ricardo Amaral vai reabrir seu famoso bar, boate e restaurante Hipopótamos, somente em abril. Como o “primo” não come feijoada, mas é teimoso, vai fazer bombar todos os sábados a Feijoada do Amaral. 



 



Collor de volta



 



O senador Fernando Collor toma posse na quinta-feira no cargo que já ocupou no Legislativo. Voltará a ser presidente da Comissão de Relações Exteriores do Senado.



 



Quatro estrelas



 



O Alto Comando do Exército estará reunido sob a presidência do comandante Villas Bôas. Os candidatos são muitos, mas para a vaga maior, 4 estrelas, a disputa é grande com apenas duas vagas.



 



Teoria da conspiração?



 



Depois do caso Trump, a Rússia estaria manipulando a campanha eleitoral francesa. A imprensa russa teria divulgado falsas informações contra o candidato à presidência francesa, Emmanuel Macron. O porta-voz de Putin reagiu dizendo que a acusação é “um absurdo”. 



 



Colonização, um crime moral?



 



No país dos Direitos Humanos falar de colonização ainda é tabu. A França ainda tem dificuldades em lidar com seu passado e quando Macron reconhece, com sinceridade e coragem, que a colonização foi um “crime contra a humanidade”, a polêmica toma conta do debate político.



 



A história fashion de Lady Di



 



No próximo dia 24 será inaugurada, no Palácio de Kensington, em Londres, uma exposição em homenagem à Lady Di. A mostra marca os 20 anos da morte da princesa e conta com cerca de 100 objetos – vestidos, tailleurs, sapatos – expostos em três salões do Palácio. As peças selecionadas foram usadas por Diana entre 1980 e 1990 e permanecerão no local até 2 de abril.

Ministro Lúcio Mário de Barros Góes, vice-presidente eleito do STM
Princesa Diana chega ao Royal
STM  Ministro José Coêlho Ferreira
Coluna