GRUPO DE ADOÇÃO

Paraíso cria Grupo de Apoio à Adoção

Por: Roberto Nogueira | Categoria: Cidades | 08-07-2017 16:07 | 3523
Grupo de voluntários se reúne mensalmente para tratar do tema adoção com troca de informações e atividades de convivência
Grupo de voluntários se reúne mensalmente para tratar do tema adoção com troca de informações e atividades de convivência Foto: Roberto Nogueira

Com o objetivo de ajudar as famílias que têm o desejo de adotar uma criança nos tramites legais e colaborar na educação e formação de filhos amados e felizes, foi criado em São Sebastião do Paraíso o GAA (Grupo de Apoio à Adoção). Com uma diretoria recém-constituída o grupo se reúne mensalmente para a troca de informações e atividades em comum. O presidente da associação é Joaquim Márcio Caldas que vem fazendo um trabalho voltado para a garantia do direito à convivência familiar e comunitária de toda a criança e adolescente institucionalizado, dentro da perspectiva de uma nova cultura de adoção. 
Participar do grupo de voluntários significa conviver com pessoas que também têm as mesmas dúvidas, incertezas, angústias e ter o apoio durante o período de espera, na chegada do filho e no período pós-adotivo. A criação do GAA “Pais do Coração” em Paraíso tem a missão de divulgar a cultura da adoção, visando atender ao direito constitucional de toda criança e adolescente viver em família. Promover debates, orientar e transmitir informações sobre a adoção de crianças e adolescentes.
A criação do grupo tem como objetivo organizar os encontros e apoiar os pretendentes a pais por adoção, que estão cadastrados na Vara da Infância e Juventude do município. O núcleo também está aberto para auxiliar os casais e pessoas solteiras que já adotaram, visando promover conhecimentos específicos dos aspectos psicológicos, sociais e legais da adoção. A iniciativa propicia ainda conhecimentos teóricos e trocas de experiências que venham contribuir para uma maior qualidade da convivência familiar quando da concretização a adoção
Conforme o presidente do GAA de Paraíso a reunião mensal acontece na segunda quinta-feira de cada mês. Portanto neste mês de julho o encontro será no próximo dia 13, a partir das 19h45. 
As reuniões ocorrem no salão localizado à rua Professora Alice Naves Alcântara do Prado, nº 431, no bairro Jardim Mediterranèe. Segundo Regis Nogueira, que é secretário no GAA, as reuniões mensais possibilitam aos pretendentes à adoção a reflexão sobre suas verdadeiras motivações para a adoção de forma a conscientizá-los quanto à realidade do processo.
O grupo foi criado em 9 de fevereiro deste ano, tendo sido composta uma diretoria. De acordo com o presidente as reuniões são abertas a qualquer participante. A proposta é de fundamentar teoricamente as futuras famílias adotivas, para que enfrentem com segurança os desafios nos meios extra-familiares e, ao desmistificarem nesse contexto visões distorcidas, venham se tornar colaboradoras para a construção de uma nova percepção cultural da adoção.




NACIONAL 
Os avanços e os desafios na promoção de adoções necessárias, ou seja, fora do perfil predominante, fizeram parte das discussões durante a realização do 22º Encontro Nacional de Grupos de Apoio à Adoção, realizado mês passado em Fortaleza (CE). Durante o evento, representantes de entidades e instituições ligadas à adoção debateram o aumento, nos últimos anos, dos números de processos envolvendo crianças com mais de 8 anos de idade com deficiência ou grupos de irmãos, como resultado do trabalho de grupos de apoio à adoção em todo o País , que atuam na disseminação de informações e desmistificação da adoção. 
Dentre os avanços registrados nos processos o destaque é que a partir de 2012 a quantidade de crianças de até 7 anos disponibilizadas para adoção triplicou. As mudanças na legislação permitiram que o Sistema Judiciário agilizasse os processos e mais crianças conseguissem entrar no Cadastro Nacional de Adoção. 
A importância do trabalho dos GAA’s na conscientização não só dos pretendentes, é tida como fundamental, mas é essencial o apoio da sociedade. No primeiro encontro nacional havia a participação de 13 grupos e atualmente foi registrada a participação de 150 grupos. Ainda assim existem gargalos funcionando como obstáculos para um crescimento ainda maior do setor.