CRÔNICA HISTÓRICA DE SÃO SEBASTIÃO DO PARAÍSO:

Sucesso do cantor Júlio Cesar

Por: Luiz Carlos Pais | Categoria: Cidades | 05-07-2017 22:07 | 10529
Foto: Reprodução

Essa crônica registra traços da trajetória de sucesso do cantor de música popular brasileira Júlio Cesar, natural de São Sebastião do Paraíso, Minas Gerais, dono de uma belíssima voz, preservada na memória afetiva de muitos jovens da década de 1980. Filho de Benedito Alves Moreira e Luíza Dias Moreira, Roldão Benoni Ribeiro, seu nome de batismo, nasceu em 5 de dezembro de 1942. Ainda menino, sua família foi levada a deixar a cidade, em busca de melhores possiblidades de trabalho, fixando residência no interior do Paraná. Na década de 1950, houve um momento de grande êxodo na região, tema esse focalizado em uma reportagem publicada no jornal “O Cruzeiro do Sul”. Muitos trabalhadores da região foram então atraídos pela expansão agrícola ocorrida em busca das férteis terras no norte paranaense. 
Quando sua família ainda residia em Paraíso, o menino Benoni vivenciou a experiência marcante de cantar nos programas infantis da Rádio Difusora Paraisense, prefixo ZYA-4, mas inesquecíveis manhãs de domingo, estímulo que despertou nele a paixão pela música. No início da década de 1960, ele foi tentar a vida na capital paulista, onde sua vocação o levou a conseguir um emprego na antiga TV Tupi, a princípio como auxiliar de escritório e depois, mais próximo do sonhado palco, trabalhando como câmera e técnico em sonoplastia. Depois de trabalhar por alguns anos nesse ambiente, em contato direto com o mundo das artes cênicas e musicais, resolveu estudar canto. Com ajuda de um professor especializado, aprimorou suas qualidades vocais o que lhe permitiu então cantar com técnica diferenciada.
Ainda nos momentos iniciais de sua carreira, início da década de 1970, teve uma de suas canções escolhida para ser tema de uma novela apresentada pela Rede Tupi. Em paralelo, o jovem cantor conquistou grande sucesso nos principais programas de televisão da época, tais como Blota Junior, Chacrinha, entre outros. Em 1969, seu nome é indicado em crônicas jornalísticas como o melhor calouro do ano. Assumiu o nome artístico de Júlio Cesar e está, há mais de 45 anos, em sua trajetória musical, cantando sucessos do seu público.
Antes de conquistar reconhecimento no meio musical nacional, o jovem cantor gravou um compacto simples em 1970, pela RCA Victor, identificado simplesmente por “Benoni”, na capa do disco. As duas músicas gravadas nesse início de carreirão são: “Dia de Sonho” e “Domingo Com Você”, as quais estão disponíveis por acesso gratuito na Internet. Entre os seus grandes sucessos estão as músicas: “Te amo, te quero”, “Daniel”, “Vou te buscar Maria”, “Tu”, “Viva o nosso amor”, entre outras. O Diário da Noite, de São Paulo, em 3 de agosto de 1970, publicou uma reportagem, destacando o promissor início de sua carreira. Parabéns Júlio Cesar!