SINALIZAÇÃO

Em algumas torres ainda faltam lâmpadas sinalizadoras

Por: Sebastião Tadeu Ribeiro | Categoria: Cidades | 28-02-2017 01:02 | 297
Das seis torres existentes, somente uma tem a luz vermelha de sinalização de alerta durante a noite
Das seis torres existentes, somente uma tem a luz vermelha de sinalização de alerta durante a noite Foto de Jornal do Sudoeste

Há poucos anos o Jornal do Sudoeste publicou matéria sugerindo maior atenção com a sinalização noturna, aquelas lâmpadas vermelhas bem em cima do topo de edifícios e torres no perímetro urbano e também na zona rural nas proximidades do Aeroporto Regional Joaquim Montans Júnior, em São Sebastião do Paraíso.




Referidas lâmpadas servem de alerta para evitar colisão e acidentes de aeronaves em ocasiões diversas, por exemplo quando há formação de neblinas ou serração e o teto fica bem baixo, prejudicando a visualização por parte de pilotos de aeronaves em operações de aterrisagem durante a noite.




Em São Sebastião do Paraíso a pista do aeroporto tem iluminação de balizamento para pousos e decolagens. É obrigatório que edifícios e torres e demais obstáculos com alturas superiores a 20 metros de altura dentro do perímetro urbano, ou próximo às cabeceiras de pista de aeroporto tem que estar devidamente sinalizadas com as referidas lâmpadas vermelhas no topo dos elevados.




Na ocasião em que foi publicada a matéria, vários edifícios e torres em Paraíso trataram logo de colocar as exigidas sinalizações onde não havia. Mas ainda existem alguns edifícios e torres sem as lâmpadas. Constatamos a falta nas quatro torres dos refletores de iluminação do Estádio Dr. Joaquim Ferreira Gonçalves (1.º de Maio, do Operário Esporte Clube), um dos pontos mais altos do bairro Mocoquinha




Das seis torres repetidoras de canais de televisão, e também uma grande torre de comunicação da Polícia Militar que se encontram instaladas na parte mais alta do morro nas proximidades da pedreira, saída para Ribeirão Preto, apenas uma tem a iluminação.




 




“Caldo de galinha e prevenção não fazem mal a ninguém”. É necessário que autoridades constituídas que trabalham para proporcionar segurança para a população paraisense e aos que chegam ou decolam em aeronaves, fiscalizem edifícios e torres, e constatando a falta de sinalização, obriguem a urgente instalação ou reparo das referidas lâmpadas de modo evitar possíveis acidentes.