Tubos para canalização vira esconderijo de marginais

Por: Redação | Categoria: Arquivo | 21-07-2002 00:00 | 514
Foto de

Devido a impunidade e a queda do padrão de vida da população, está ficando cada vez mais inseguro e perigoso se viver neste belo País.
O número de furtos e assaltos seguidos de violência, estão tirando a liberdade e a tranqüilidade da população.
Marginais estão cada vez mais destemidos e violentos, praticando crimes audaciosos e de uma crueldade sem tamanho em que as pessoas devem ficar estarrecidas. Até mesmo o nosso Criador não deve estar acreditando que sua criatura, o ser humano, seja capaz de cometer tantas atrocidades com sua própria espécie e demais vidas que habitam o Planeta Terra.
Falando em crime audacioso, aqui em Paraíso, nas imediações do cruzamento da rua Carlos Piccirillo com a avenida Mario Giacchero, divisa dos bairros Vila Operária e Nossa Senhora Aparecida, marginais se escondem dentro de tubos de concreto que deveriam ser usados para canalizar água pluvial, obra inacabada do Projeto Somma.
O alvo principal dos marginais são mulheres e idosos. Ficam escondidos dentro dos tubos, e assim que as vítimas passam, são surpreendidas por dois ou mais assaltantes. Tomam dinheiro e outros pertences, sob ameaça de faca, estiletes, etc.
Os assaltos estão acontecendo mesmo à luz do dia, afirmou um cidadão que reside nas imediações. "Eles esperam as pessoas descer o barranco que existe no local, onde se formou uma enorme cratera, e por isso quase ninguém pode ver o assalto ser praticado", diz uma testemunha. Por causa disso, transeuntes estão mudando de caminho, andando alguns metros a mais para se chegar à avenida Oliveira Rezende.
O morador, através do SUDOESTE faz um apelo às autoridades policiais, no sentido de que se faça blitz naquela área, porque, logo-logo, se não for tomada nenhuma providência, pessoas poderão ser assassinadas. Marginais estão agindo livremente para atacar gente indefesa.
Há dois anos os tubos se encontram no local. Deveriam estar debaixo da terra, servindo para canalizar água pluvial e não para esconderijo de marginais, conclui, revoltado, um dos moradores das imediações.