Aécio articula, e Melles vai para o palanque de Serra

Por: Redação | Categoria: Arquivo | 15-09-2002 00:00 | 461
Foto de

O candidato à Presidência da República, José Serra, da coligação Grande Aliança (PSDB-PMDB) esteve ontem em São Sebastião do Paraíso onde se encontrou com o deputado Aécio Neves, candidato ao governo do Estado, Eduardo Azeredo e Zezé Perrela, candidatos ao Senado. Articulado por Aécio Neves (PSDB), o encontro marcou o engajamento do deputado federal e ex-ministro do Esporte e Turismo, Carlos Melles, na campanha de Serra. 
Serra chegou às 17:50 h, no Aeroporto Joaquim Montans Jr onde foi recebido por políticos e empresários, discretamente. A multidão se empolgou foi com a chegada de Aécio que encontrou dificuldade para chegar até o saguão do aeroporto.
Ao ver a fotografia na qual aparecem os ex-presidentes, seu avô, Tancredo Neves e Juscelino Kubitschek, em um comício em Paraíso, nos anos 60, Aécio se emocionou.
Do aeroporto os candidatos seguiram em carreata até a Santa Casa de Misericórdia onde conheceram o Hospital do Coração que está sendo construído com recursos vindos do governo federal. Serra, Aécio e Melles foram homenageados pela diretoria da Santa Casa.
"O hospital do Coração, no qual estamos investindo vai atender uma população de 450 mil pessoas", disse Serra, dizendo que naquele local "o dinheiro é bem aplicado, pela direção da Santa Casa, pelo Ministério da Saúde, por aqueles que fizeram as emendas e têm acompanhado essa obra", referindo ao deputado Carlos Melles. "Ele foi o batalhador em Brasília para que trouxéssemos o investimento para cá", disse Serra.
Questionado de sua busca de apoio no PFL, e em Carlos Melles, Serra justificou: "Ele foi meu colega de ministério, um competente ministro do Esporte e Turismo, e nossa aproximação política sempre foi natural. Isso é um prolongamento dessa amizade que já existia dele comigo, e muito mais com o Aécio e com o Eduardo Azerdo. A própria ida dele para o Ministério sempre contou com o enfático apoio de Aécio e Eduardo", afirma.
Sobre o entendimento com Zezé Perrela, Serra que teria solicitado apoio ao PFL para também lhe formalizar apoio, o candidato aproveitou par fazer uma brincadeira: "Só tenho uma diferença com o Perrela: é que ele tirou o Luxemburgo do Palmeira e o levou para o Cruzeiro".
No tocante às pesquisas que demonstram seu crescimento, explica estar adotando "uma estratégia da Seleção Brasileira, coerente. Vamos ganhar, se Deus quiser, até o final do segundo tempo", afirma.
Serra ressaltou que a recente intervenção política de Aécio e Melles, "salvou a cafeicultura, no Brasil e em Minas". Especificamente sobre seu plano de governo para a região, afirmou que visa o fortalecimento da cafeicultura e da pecuária leiteira. O Brasil é o maior produtor de café do mundo, e por isso merece "um tratamento à altura" salienta. "Temos que fortalecer os organismos, junto com a área privada, para cuidar do café, fortalecer mecanismos de crédito, e fazer uma coisa fundamental: industrializar o café", garante. A respeito da industrialização, o candidato fez as contas. "Uma saca está a 40 dólares, enquanto o café processado, vendido nos supermercados da Europa está a 600 dólares, por isso devemos desenvolver esse processo, e perseguir o mercado internacional com um produto cinco estrelas", disse .
Ao Jornal do Sudoeste, Aécio Neves disse de sua intenção em investir em qualidade no ensino, uma vez eleito. Sem falar em municipalização do ensino fundamental, o candidato preferiu enfatizar que irá investir no ensino médio. "Vamos ter que ampliar o número de vagas, investir nos professores". Aécio falou que seu grande objetivo é focar o ensino médio para o ensino profissionalizante, "formar jovens para o mercado de trabalho que existe, exatamente focando a potecialidade de cada região do Estado".
Exemplificando, disse que nessa região, referindo-se ao Sudoeste, "você pode formar o jovem para o agronegócio, e para a própria industrialização que aqui já chegou". Em outras, será direcionado para o turismo, para a indústria de lapidação, caso do Vale do Jequitinhonha. "Temos que agregar valores aos nossos produtos", salienta.
Questionado sobre a segurança pública, assegura que essa será sua "obsessão". "Vamos fazer um trabalho de inteligência, de coordenação das polícias Civil e Militar com participação da Polícia Federal. Vamos levar o geoprocessamento que já começou em Belo Horizonte, para as cidades médias do Estado, para identificar onde o crime está mais organizado, e ações muito objetivas para combatê-lo".
Sobre sua adesão à campanha de Serra, o deputado Carlos Melles afirma que sempre teve bom relacionamento com ele, "desde os tempos de Ministério", e que "Aécio é quem está ditando os rumos para manter a união no Estado".
Da Santa Casa, os candidatos seguiram em carreata até a Cooperativa Regional dos Cafeicultores - Cooparaiso. No percurso, Serra, Melles, Aécio, Perrela e Azeredo pararam para cumprimentar militantes. No "Bar do Zé Dias", tradicional em Paraíso, comeram frango com queijo. 
Na Cooparaiso, Serra lançou dois programas de âmbito nacional. Um denominado "A nova marcha do Café", e outro o "Leite para Todos". O candidato disse de seu contentamento de estar em Paraíso. "Gostei muito da cidade, e lá no bar comi um dos melhores frangos nos últimos anos. A satisfação é ainda maior por ser recebido pelo Melles e pela prefeita Marilda. Me emocionei na Santa Casa ao ver a hemodiálise e o Hospital do Coração que está nascendo". 
Por volta das 21:30 h, os candidatos seguiram de carro para Passos onde fizeram comício. Há 43 anos, Paraíso não recebia a visita de candidatos à Presidência da República, em suas campanhas. Os últimos foram Jânio Quadros, Ademar de Barros e Teixeira Lott, em 1959.