Presidente do TJMG instala Vara Criminal em Paraís

Por: Redação | Categoria: Arquivo | 22-09-2002 00:00 | 674
Foto:

O desembargador Gudesteu Bíber Sampaio, presidente do Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais - TJMG, em solenidade no Fórum Amphilóquio do Amaral, quinta,19, instalou a Vara Criminal da Comarca de São Sebastião do Paraíso. A sessão foi aberta pelo juiz Rinaldo Kennedy Silva, e, em seguida transferida ao presidente do TJMG. "O crescimento geral da cidade e da comarca por certo justificou a sua classificação na Lei de Organização e Divisão Judiciárias do Estado, como de segunda entrância com cinco varas", salienta o desembargador. 
O presidente do TJEM disse de sua satisfação em comparecer "à sua antiga comarca, como atual chefe do Poder Judiciário mineiro, a fim de trazer um benefício importante e muito merecido para a boa gente paraisense" que um dia o acolheu "com fidalguia e carinho". Ao se instalar a Vara Criminal, as duas até então existentes passaram a ser denominadas e competência de 1.ª Vara Cível e de 2.ª Vara Cível e da Infância e da Juventude.
Depois das formalidades de instalação, Gudesteu Bíber mencionou mudanças implementadas por ele no Judiciário mineiro, prevendo ainda modificações de modo a ir ao encontro do povo, "e quando digo povo não me refiro à sociedade organizada, sim do povo simples" prevê, ao opinar que "o Judiciário precisa descer do pedestal, e da redoma de cristal".
Nesse contexto, o desembargador quer a sociedade participando no tocante à aplicação das penas aos infratores da lei. "A comunidade que ajuda o homem antes dele pecar, tem que o ajudar depois que ele peca", disse, ao manifestar seu desejo da efetiva participação da maçonaria, de clubes de serviço como Lions e Rotary, líderes religiosos, na construção de um novo modelo de execução penal.
Sobre a instalação da Vara Criminal, a prefeita Marilda Petrus Melles salientou tratar-se de "uma aspiração de todos os que necessitam de uma prestação jurisdicional cada vez mais rápida e eficiente" e por isso todos estão jubilosos. Destacou a atuação dos desembargadores Gudesteu Bíber Sampaio e Kelson do Prado Carneiro, enfatizando suas passagens pela comarca paraisense como juízes. "Como amigos, continuam sempre ao nosso lado e no nosso convívio, o que muito nos honra".
O presidente do TJMG disse que "por uma questão de justiça", deixava claro a atuação do deputado Rêmolo Aloise e da prefeita Marilda Melles para se instalar a Vara Criminal. 
"Reminho na Assembléia Legislativa lutou para que o TJMG pudesse ter um orçamento condigno", explicou, ao atribuir ao deputado a condição de "amigo do Judiciário", e sua constante reivindicação para que fosse implantada a Vara Criminal. "Ele não largava do meu pé", disse o desembargador em tom humorado.
Referindo-se a prefeita, salienta seu interesse e o quanto fez para a implantação do Juizado Especial, dependência providenciada pela Prefeitura. "Dependemos em quase tudo". Gudesteu mencionou também o apoio recebido do deputado e ex-ministro do Esporte e Turismo, Carlos Melles. "Tudo que reivindicamos como presidente do Tribunal, ele nos atendeu".
Reminho disse de sua amizade de longa data pelos desembargadores Gudesteu e Kelsen e por seus familiares, e que como político tinha a satisfação de vivenciar um momento como aquele, pois deixa sua marca registrada na história do município.
Numa frase do escritor Fernando Pessoa, o juiz Raimundo Messias Júnior, recentemente transferido da comarca de Paraíso, para Belo Horizonte, sintetizou seu ponto de vista sobre a instalação da Vara Criminal: "Quando Deus quer e o homem sonha, a obra nasce".