PASSARELA OCIOSA

Fizeram uma passarela ociosa, afirma vereador Luiz de Paula

Rampa em lado oposto de bairro Cidade Industrial tem feito as pessoas se arriscarem ao atravessar rodovia, dizem vereadores
Por: João Oliveira | Categoria: Transporte | 05-09-2018 20:38 | 1260
Foto de Arquivo "JS"

O diretor executivo da concessionária “Nascentes das Gerais”, Joselito Rodrigues de Castro, em reposta a ofício do vereador Luiz Benedito de Paula solicitando a possibilidade de construção de uma rampa que dê acesso a lado direito da passarela existente na BR-491, KM 6, no bairro Cidade Industrial, como forma de facilitar o acesso aos pedestres, afirmou que não seria possível atender ao pedido uma vez que a concessionária não identificou a necessidade da solicitação feita pelo vereador.

A resposta não agradou Luiz de Paula, que chamou de “obsoleta” a passarela e que moradores têm preferido atravessar a pista a utilizá-la. De acordo com as Nascentes das Gerais, após análise no local, “a concessionária esclarece que não foi identificada nenhuma necessidade de construção de rampa que dê acesso ao lado direito, pois conforme relatório fotográfico, a construção existente já é contemplada de toda a estrutura solicitada”, disse.

Segundo Luiz, ele solicitou em plenário para que fosse construída uma rampa ao lado direito da passarela, nas proximidades da Faculdade Calafiori, porque, segundo defende, a concessionária teria feito totalmente errada a construção da rampa que estaria na contramão de grande parte do bairro Cidade Industrial.

“Inicialmente, era para ter feito a rampa nas proximidades da Cantieri, mas fizeram nas proximidades do Bozelli. Ao invés de fazer a rampa para o lado direito, sentido ao bairro, colocaram para o lado esquerdo, saindo próxima a faculdade. Agora, alegam que não há necessidade de atender a este pedido. A passarela tem 170 metros e a pessoa tem que dar a volta a pé”, ressalta.

Conforme o vereador, do lado que foi construída a rampa de acesso a passarela há dois quarteirões. Para o lado que há a necessidade de construir a rampa para melhorar para os moradores haveria 10 quarteirões. “É fácil estar atrás de uma mesa e falar que não há necessidade. Não são as pessoas das Nascentes das Gerais que vão dar essa volta toda. Fizeram uma passarela ociosa e gastaram dinheiro à toa, porque quem mora das proximidades da Faculdade Calafiori, não há necessidade de passar na passarela, é só atravessar a pista. Gastaram dinheiro à toa”, criticou.

A vereadora Cidinha Cerize comentou que esteve no bairro com uma moradora e ela foi informada que as pessoas estariam atravessando a pista porque grande parte do bairro está do lado oposto de onde está a rampa de acesso. “É um risco passar na pista e eu não recomendo. Mas recebi essa mesma queixa de um morador”, acrescentou. Segundo De Paula, a rampa ao todo tem 105 metros, ao passo que para atravessar a pista, o cidadão andaria 70 metros. “Jamais as pessoas dariam volta. É um absurdo fazerem obras achando que irão beneficiar a população, mas que não são usadas”, concluiu.