BOLSONARO

Candidato a presidente Bolsonaro é esfaqueado durante campanha

Por: Redação | Categoria: Brasil | 06-09-2018 18:00 | 4795
Jair Bolsonaro fazia campanha em Juiz de Fora quando foi atingido por uma facada
Jair Bolsonaro fazia campanha em Juiz de Fora quando foi atingido por uma facada Foto de Reprodução

O candidato a presidente da República, Jair Messias Bolsonaro (PSL), líder nas pesquisas de intenções de voto, levou uma facada durante realização de campanha eleitoral em Juiz de Fora, Zona da Mata, em Minas Gerais. A princípio foi informado que o golpe teria causado um ferimento leve, mas o político foi levado para a Santa Casa de Misericórdia, onde foi submetido a uma cirurgia por suspeita de uma lesão no fígado. O autor do atentado foi preso pela polícia.

Bolsonaro foi atingido quando participava de uma caminhada. O presidenciável Bolsonaro era carregado nos ombros por cabos eleitorais e fazia corpo a corpo com eleitores no meio da multidão. O acusado teria aproximado no momento em que o político acenava para as pessoas e efetuou o golpe. Ele foi socorrido de imediato e encaminhado para o hospital.

Em nota distribuída à imprensa o hospital informou que o candidato deu entrada na emergência por volta de 15h40, com "uma lesão por material perfurocortante na região do abdômen". Pelo Twitter, o filho de Bolsonaro, Flávio Bolsonaro, anunciou que seu pai não corre risco de morte. "Jair Bolsonaro sofreu um atentado agora em Juiz de Fora, uma estocada com faca na região do abdômen. Graças a Deus, foi apenas superficial e ele passa bem".

Segundo a Polícia Federal que faz o acompanhamento dos presidenciáveis, Bolsonaro contava com escolta quando foi atingido durante o ato público. O agressor foi preso em flagrante e encaminhado para a delegacia da PF. O acusado foi identificado pela Polícia Militar como sendo Adélio Bispo de Oliveira. O suspeito chegou a ser espancado no local e estava sendo ouvido em depoimento para apurar as motivações do crime.

A agressão a Bolsonaro teve repercussão inclusive na imprensa internacional. O presidente da República Michel Temer emitiu nota condenando o ato classificado por ele como "intolerável". Todos os demais concorrentes também se posicionaram manifestando repúdio a agressão e a prática de violência contra quem quer que seja.