• Dos Leitores •

Leitor...

Por: Redação | Categoria: Do leitor | 10-10-2018 17:38 | 231
Foto de Reprodução

Hoje lendo a publicação do jornal do dia 06/10, fiquei indignado quanto a preocupação do presidente da ACISSP com referência ao feriado de 20 de Novembro. Não vejo nenhum tipo de prejuízo pra o comércio, ao contrário, em dia de sábado pela manhã o comércio tem muito movimento (dia que maior parte da população tem de descanso), acho que é uma questão dos comerciantes se organizarem e abrir as portas revezando os funcionários ou dando folga durante a semana ou pagamento extra pelo dia.

Com todos trabalhando, quem vai no comércio gastar? Vereador só trabalha nas quintas-feiras. Para eles tanto faz. Mas quem trabalha de segunda a sexta-feira 8 a 10 horas por dia, faz diferença o descanso, os mercados trabalham de segunda a domingo, revezando funcionários, sei que tem que ter ao menos um domingo de descanso no mês.

Feriados movimentam o comércio isto sim. Negócio de ir pra Ribeirão Preto, é só pra quem pode e não escolhe dia.

Pessoal, vai lá no São Judas dias de sábados, domingos ou feriados, quase tudo aberto. Só ACISSP não sabe disso? Está aí novamente no Jornal Sudoeste. O Presidente da ACISSP que me perdoe. Mas tenho que protestar. Fico indignado com esta visão retrógrada. Quem vai pra fora gastar o que não tem? Pois os organizadores da Expar já levaram o dinheiro do povo. Quatro dias de shows, preços  absurdos para uma festa popular. Com Shows fracos, ninguém de peso. Lugar tão grande, porém apertado, com grande incidência de roubo e falta de segurança. Cadê a ACISSP pra reclamar... Não deixando os feirantes e comerciantes da cidade montarem seu negócio naquele espaço. Vem tudo de fora, organização e toda comida ali servida, com planos de vendas no cartão de crédito e tudo, paga-se até parcelado.

Aí um feriado é que a cereja do bolo? Cursos de gestão sim, está na página 08 da mesma edição do Jornal do Sudoeste, isto é louvável pra ACIS SP fazer. Vamos pôr os pingos nos Is.

Att.

Eduardo de Abreu - São Sebastião do Paraíso