PARAÍSO 197 ANOS

Amor de Quintal

Por: Redação | Categoria: Cidades | 28-10-2018 16:01 | 42
Foto de Reprodução

Francisca Borges da Cunha

O sol chegou, acorda a manhã.
Trazendo no rastro o amor,
Desperta a emoção, com a revelação:
- É o domingo comigo!...

Meu quintal é meu amor
Tem cão, tem verde, tem flor!

Tem um coração repleto
De tudo que eu possa abraçar,
Tem a sede e a fome eternas
De amar, amar, amar e amar...

A poesia é inata,
Em cada pedacinho seu.
Se tocado logo grita:
- Olha o que Deus lhe deu!

As folhinhas se abrindo preguiçosas,
São,
O mistério do amor se revelando!
Flores em cores, aquiecidas,
Vão,
Ao bailado do existir se perfumando!

No quintal de puro amor,
Tudo a se renovar,
É vida que quer viver,
Amar, amar, amar e amar

Sob pérgula perfumada
Compactada de flores,
Em redemoinhos de alegria
Os netos vão se abrigando.
Nos cordões do faz de conta
Se enredando :
- Com o passarinho no ninho!
A natureza e a beleza!
Criança, esperança e
Flor no amor!
Amor, amor, amor e amor!

Com olhos caramelados,
Meu cachorro tudo vê!
A um olhar terno e doce
A gente se namora,
E se enamora,
De olhos molhados...

O amor escorre no tempo,
Entra na alma da gente!
No quintal de puro amor,
E o domingo, comigo!
Amor, amor, amor e amor...

FRANCISCA BORGES DA CUNHA membro da Academia  Paraisense de Cultura.