GILBERTO AMARAL

Gilberto Amaral

Por: Gilberto Amaral | Categoria: Brasil | 31-10-2018 11:04 | 1477
Jair Messias Bolsonaro
Jair Messias Bolsonaro Foto de Reprodução

Missão
Eleito com mais de 57 milhões de votos, o presidente Jair Bolsonaro (foto) tem agora difícil missão de tirar o Brasil do fundo do poço, onde foi colocado pelos governos corruptos e irresponsáveis do PT. Lá no fundo, gritando por socorro, estão mais de 13 milhões de desempregados, desesperados, abandonados pelo PT na rua da amargura e com a esperança de dias melhores. Mas, o novo presidente é corajoso, determinado, e tem a força que precisa para superar esse obstáculo e colocar o país nos eixos. Boa Sorte!

Euforia
O mercado financeiro brasileiro começou a semana com euforia pela eleição do presidente Jair Bolsonaro: o dólar, que andava nervoso, perto dos R$ 4, caiu para R$ 3,58. Os fundos brasileiros no exterior saltaram mais de 7%. Bolsonaro é um presidente que inspira confiança nos novos rumos do Brasil e, principalmente, entre os investidores. Sabem que agora o país vai ter ordem e progresso.

Trump
Uma hora depois de ter sido anunciado, oficialmente, como presidente eleito do Brasil, Jair Bolsonaro, recebeu telefonema do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que lhe parabenizou e desejou boa sorte. Bolsonaro agradeceu e prometeu fazer um governo de cooperação, e a expectativa é a de que os dois se entendam muito bem. Trump e Bolsonaro têm uma coisa em comum: detestam comunistas.

Brasiliense
Quando vier para Brasília, em janeiro próximo, morar com o presidente Jair Bolsonaro no Palácio da Alvorada, a nova primeira-dama do Brasil, Michelle Bolsonaro (foto), vai se sentir em casa. Poucos sabem, mas Michelle é brasiliense da gema, nascida em Ceilândia, maior cidade do DF. Foi durante muitos anos secretária parlamentar de Bolsonaro. É uma mulher simples, religiosa, simpática, dinâmica, envolvente e cativante.

Oração
Convidado pelo presidente Bolsonaro, o senador não reeleito pelo Espírito Santo, Magno Malta, que também é respeitado pastor evangélico, foi quem fez a oração de agradecimento a Deus pela magnífica vitória. Malta, colaborador de primeira hora de Bolsonaro, fez uma bela oração, de profundo espírito cristão. Embora não tenha sido anunciado, Bolsonaro prometeu que Malta estará com ele no Governo. É gente boa!

Enganação
O bravo e sofrido Nordeste é uma região que, mesmo explorada pelos políticos, sabe ser grata. Agora mesmo deu ampla vitória regional ao presidenciável do PT, Fernando Haddad, sem ter sido francamente beneficiado pelos Governos do PT. O Bolsa-Família, que o PT tanto badala, é um programa dito para combater a miséria, mas até agora não tirou ninguém da miséria. É uma exploração, uma enganação.

Religião
O novo presidente do Brasil vai ter que ter muita paciência e determinação para enfrentar polêmicas que serão criadas pelos jornalistas contra seu Governo. Uma delas é o chamado Estado laico, Estado sem religião. Aliás, muitos já estão de língua afiada: “Com Bolsonaro, o Estado laico já era”. Na verdade, o estado laico colocado na Constituição brasileira é coisa de comunistas, pois somente para eles Deus não está em toda a parte. Que haja uma reforma constitucional que respeite o Brasil como o maior país católico do mundo.

Atentado
Sobre isso, aliás, tenho uma história incrível. Em Juazeiro do Norte, maior e mais importante cidade do interior do Ceará e o maior centro do catolicismo popular da América Latina, na administração do PT de Manoel Santana, aconteceu o inimaginável: funcionários da Prefeitura trocaram uma imagem de Cristo crucificado na Secretaria de Educação por Che Guevara, o guerrilheiro revolucionário dos comunistas. Um verdadeiro atentado em nome do Estado laico.

Francamente
Por isso, não é de se estranhar que um jornalista como Merval Pereira, de O Globo, tenha criticado o presidente eleito, por ter feito aquela bela oração de agradecimento a Deus pela vitória, como se fosse uma agressão ao Estado laico. Que o jornalista seja comunista e ateu é problema dele, mas transformar isso numa questão coletiva é um abuso. Francamente, Estado laico está na Constituição inscrito pelo demônio.

Imoralidade
Como um dos mais antigos jornalistas do Brasil, aos 84 nos de idade, estou impressionado com o que vi nas últimas eleições: todos os jornalistas brasileiros, principalmente de O Globo e da Folha de S.Paulo, atacando diariamente o presidenciável do PSL. Quando não tinham assunto, inventavam. Parece que ninguém tinha opinião própria, pareciam combinados e todos os dias. Atacaram sem pena e sem dó, violentamente, mas não adiantou nada. Bolsonaro venceu todos os preconceitos e foi eleito por 57 milhões de votos. Já os jornalistas, perderam credibilidade e viraram para sempre jornalistas petistas. Uma imoralidade!

Grosseiro
O ex-candidato à presidência, Fernando Haddad, nunca devia ter sido ministro da Educação, simplesmente porque ele não tem educação. Derrotado, democraticamente, nas eleições, cabia-lhe ter telefonado para o presidente eleito, Jair Bolsonaro, cumprimentando-o pela vitória, o que não o fez. Fez foi um discurso anunciando que fará uma oposição ferrenha ao novo Governo para atender aos interesses do seu partido, o PT. Além de grosseiro, Haddad não é nem mesmo democrata. Se fosse democrata, teria ligado para Bolsonaro e dito: “Parabéns. Boa Sorte. Até agora você foi meu adversário, mas agora você é, meu presidente”.

Beleza
Sempre admirei a inteligência da jornalista Eliane Cantanhêde, atualmente no Estadão e na Rede Globo. Mas agora estou particularmente admirado com sua repaginada na Rede Globo. Está aparentemente mais nova e mais bonita. Entretanto, o avanço da idade não lhe mudou a feição de “Bela da Tarde”. Quem me diz isso é o jornalista e meu amigo Jota Alcides, que conviveu diariamente com Eliane no início dos anos 80, quando ele era assessor de Imprensa do MEC e ela repórter setorista da Folha de S. Paulo no MEC. Além dessa beleza, é uma profissional altamente competente.

Paris: Sial 2018
A capital da gastronomia acolheu o maior salão mundial de bebidas e alimentos, Sial. O evento gigantesco contou mais de 7 mil expositores de 165 países espalhados em 250 mil m2. Foram cerca de 400 mil produtos exibidos num espaço equivalente a centenas de hipermercados juntos.

Flexitariano gourmet
Esta foi a tendência do salão e responde às demandas do consumidor europeu e asiático que come menos carne (mas com mais qualidade) e privilegia frutas e legumes. Para se adaptar aos novos hábitos alimentares, os industriais reinventam maneiras gourmet de comer vegetais sem perder o sabor natural dos alimentos. É o que propõem os brasileiros Heber e Rodrigo, da Frispy, pela primeira vez na Sial, apresentando seus snacks saudáveis feitos de legumes desidratados.

Comida Étnica
Outra expressão do momento, ela se explica pela busca de novos sabores que representam um estilo de vida (e de cozinha) em harmonia com a natureza. Neste seguimento alimentar, alguns produtos brasileiros como a pamonha ou a farinha de mandioca têm quota no mercado francês. No evento tiver a oportunidade de conhecer Humberto Azenha e Gabriela Garra (foto), da Pamonha Gourmet, que já exportam na França, mas com a Sial esperam aumentar o volume de distribuição, hoje reduzido aos expatriados brasileiros.

Marcella May Azambuja
Michelle Bolsonaro
Raice Cabral com Humberto Azenha e Gabriela Gatta, donos da Pamonha Gourmet