BRASÍLIA

Alerta ao Presidente Eleito

Por: Gérson Peres Batista | Categoria: Brasil | 14-11-2018 10:13 | 2511
Deputado Zequinha Sarney
Deputado Zequinha Sarney Foto de Reprodução

Imprensa
Com certeza, o presidente Jair Bolsonaro precisará ter um secretário de Imprensa de multivisão, competência e experiência para fazer um trabalho inteligente, eficiente, coerente, abrangente e convergente em ação, reação e pró-ação de âmbito nacional. É que os principais veículos de comunicação do país, todos de tendência petista, estão contra o presidente desde a campanha eleitoral e vão encarar o Governo como terceiro turno. Vai ser uma guerra.

Redes
Na comunicação do Governo, o presidente eleito deve dar prioridade às redes sociais, que foram responsáveis pelo sucesso de sua campanha eleitoral. Enquanto ele era criticado por toda a imprensa, elas seguraram a onda mantendo seu nome na dianteira. Bolsonaro seguiu o exemplo do ex-presidente norte-americano, Barack Obama. Agora pode dobrar seu número de seguidores de 17 milhões para 34 milhões

Pesquisas
Como as pesquisas acompanharam a evolução de Jair Bolsonaro na campanha eleitoral até a eleição, com segurança e precisão, ele pode adotá-las na Secretaria de Imprensa da Presidência como instrumento de apoio aos seus projetos de interesse nacional. O objetivo é evitar os constrangedores recuos e cancelamentos de projetos anunciados, como aconteceu várias vezes no Governo Temer aumentando sua rejeição.

Fidelidade
Eleição do presidente Bolsonaro começou nas manifestações populares de 2013, quando  o povo enfurecido com a corrupção, decretou “fora” partidos e políticos. Em 2015, o povo exigiu as prisões de Lula, e de outros do PT. Em 2017 apareceu o clamor pela volta dos militares. Foi definido assim o perfil do futuro presidente: um militar descolado dos partidos e dos políticos. Ganhou personificação: Jair Bolsonaro. Na campanha, ele mostrou a força das grandes massas de 2013. Agora, precisa ser fiel ao povo que o autorizou a fazer as mudanças no Brasil.

Depuração
Pela primeira vez na história do Brasil, desde a redemocratização, o presidente eleito é descolado de partidos e de políticos, resultado direto de exigência do povo. Por isso, o presidente Bolsonaro precisa aprender a governar sem o Congresso. Pode conversar, dialogar sobre projetos, mas não pode negociar, pois terá a desaprovação do povo. Acabou a representação democrática popular no Brasil. E vai passar um bom tempo assim, até que haja a completa depuração da classe política já iniciada nas eieições de 2018.

Parceria
Governo Bolsonaro precisará fazer parcerias com governos vizinhos da América do Sul  para ter ajuda na guerra ao crime organizado no Brasil, prioridade absoluta do novo Governo. Na última semana foram apreendidas na Argentina 616 armas de guerra que vinham para os bandidos do Rio de Janeiro. O narcotráfico não é brincadeira. É uma força com organização de forte e rico exército.

Exército
Durante a redemocratização até agora, o glorioso Exército brasileiro ficou à margem da sociedade, estigmatizado por causa do regime militar. Mas, agora, como o Brasil mudou, o novo presidente deve renovar a glória e o orgulho do Exército com uma grande festa no seu dia, 19 de abril, nos Montes Guararapes, ao sul do Recife, exatamente onde os heróis pernambucanos derrotaram os invasores holandeses fazendo nascer o glorioso Exército nacional. 

Aparelhistas
Eis um grande desafio de gestão para Jair Bolsonaro: limpar os Ministérios do aparelhamento do PT feito ao longo de 13 anos no poder. Os Ministérios estão cheios de petistas infiltrados, pagos pelo Governo e trabalhando para Lula e o PT, e atrapalhando o Governo. É assim que decisões dos ministros  nem bem são tomadas e já são vazadas com interpretação negativa.

Moral
Conforme o espírito do presidente Bolsonaro de estimular o patriotismo e a consolidação de uma identidade nacional, centenas de municípios brasileiros estão preparando projetos para a volta da Educação Moral e Cívica nas escolas. É uma boa resposta ao Governo do PT que andou, despudoradamene, distribuindo kit gay e cartilha ensinando crianças de seis anos a fazer sexo.

Esportes
Já que Bolsonaro vai incorporar o Ministério dos Esportes como Secretaria ao MEC, seria recomendável que nomeasse um coronel do Exército, formado em Educação Física para ser o novo Secretário. Como foi até o final do Governo Figueiredo com o coronel Péricles Cavalcante e funcionou muito bem. Quanto mais generais e coronéis do Exército na Esplanada, melhor o Governo. 

CNC projeta crescimento
Dados divulgados pelo IBGE, na Pesquisa Mensal de Comércio, mostram que o faturamento real dos dez segmentos que compõem o chamado comércio varejista ampliado - que engloba as vendas do comércio automotivo e das lojas de materiais de construção - apresentou queda de 1,5% em setembro, na comparação com o mês anterior, já descontados os efeitos sazonais. Foi o mês mais fraco do varejo desde maio, quando as vendas desabaram 4,9% em decorrência da greve dos caminhoneiros. Mas, apesar da desaceleração no ritmo das vendas, o varejo caminha para o segundo ano de expansão no seu faturamento real, aponta a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo.

No alvo
O governador do DF, Ibaneis Rocha acertou na mosca na escolha de seu secretário de Meio Ambiente, o meu amigo Zequinha Sarney (foto). O trabalho dele como ministro foi excepcional.

De volta
Depois de ser o homem da comunicação no Governo Roriz, retorna ao GDF, com a mesma finalidade, o jornalista Weligton Morais.

Feriadão
impacto econômico do feriado prolongado da Proclamação da República (15/11) no setor de Viagens e Turismo no Brasil será de aproximadamente R$ 3,8 bilhões, com a realização de 1,85 milhão de viagens pelos destinos brasileiros num período de quatro dias, de acordo com estimativas do Ministério do Turismo. O ministro Vinicius Lummertz, observa que o setor movimenta pelo menos 52 atividades econômicas que formam a base do mercado de viagens, distribuindo desenvolvimento por todos os estados brasileiros. “Os números mostram o que o turismo pode fazer pelo Brasil em termos de geração de divisas, emprego e renda. O turismo não é efeito, ele é causa do desenvolvimento: mobiliza investimentos, inclui, cria oportunidades e gera um ciclo positivo para a economia nacional”, ressalta.

Novidade na Corte
A talentosa empresária Fabiani Christine (foto), da Dot Paper, além dos seus já famosos artigos de papelaria que fazem o maior sucesso pelo bom gosto, agora está movimentando também a sua loja com belíssimas e bem montadas comemorações de aniversários. Fabiani transforma o espaço num maravilhoso salão de festas, e na última temática celebração teve até a presença do Papai Noel. Uma boa dica para quem está à procura de um local para cantar o “parabéns pra você” em grande estilo.

Drogas
Das mais apropriadas, a palestra “Superando as Drogas” que Henrique França (foto) profere, às 11h, no Colégio Sérios, na 902 Sul. Ele é profundo conhecedor do assunto e realiza um belo trabalho há anos com dependentes químicos em sua ONG, Salve a Si.

Natal
A atriz e empresária Glória Pires (foto) abraçou com muito carinho a Campanha Natal Permanente da LBV — Jesus, o Pão Nosso de cada dia!. Ela vestiu e divulgou em suas redes a camisa da Solidariedade para apoiar esta ação que entregará 50 mil cestas de alimentos a famílias em situação de vulnerabilidade social, garantindo a elas um Natal mais digno e feliz. A LBV segue a todo vapor na mobilização de doações para a distribuição dos itens arrecadados a partir de dezembro. A Caravana da Boa Vontade vai percorrer todo o Brasil, beneficiando as famílias que ao longo do ano já participam das ações da entidade

Permanente
A campanha vem recebendo o apoio de vários colaboradores, voluntários, artistas, esportistas, empresários e estudantes, que estão mobilizando a população numa grande ação solidária para arrecadar os alimentos e, assim, proporcionar um Natal sem fome a milhares de famílias. Em Brasília quem reforça esse time solidário é a sambista Dhi Ribeiro que este ano comemora 30 anos de carreira. A cantora promoverá a “Roda DhiSamba Beneficente”, nesta quinta-feira, na ARUC.

Atriz Gloria Pires
Fabiane Christine
José Henrique França Rick  (o bom pastor)