OLIMPÍADAS MATEMÁTICA

Paraisense comemora vitória de alunos em Olimpíadas de Matemática

Por: João Oliveira | Categoria: Educação | 01-12-2018 13:00 | 1317
Da esquerda para direita: o diretor Adilson Luciano; o medalhista de prata, João Pedro; a medalhista de bronze Ana Elisa; o medalhista de ouro, Luiz Felipe a professora de matemática Raquel Benassi
Da esquerda para direita: o diretor Adilson Luciano; o medalhista de prata, João Pedro; a medalhista de bronze Ana Elisa; o medalhista de ouro, Luiz Felipe a professora de matemática Raquel Benassi Foto de João Oliveira

Quatro alunos da Escola Estadual Paraisense estão comemorando o resultado da 14º Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Pública. Os estudantes do 9º ano do Ensino Fundamental, Luiz Felipe Azevedo Cândido, João Pedro Cardoso de Paula, Pedro Antônio Cunha e Ana Elisa Rabelo, trouxeram bons resultados para escola conquistando juntos uma medalha de ouro, duas pratas e um bronze. Ana foi a única menina dessa lista entre os ganhadores e 11 menções honrosas, o que confere a sua medalha um valor ainda maior.

O resultado é fruto do trabalho dos professores da Instituição e dos esforços dos alunos que, conforme destaca a professora de matemática dos alunos Luiz Felipe, medalhista de ouro, e da Ana Elisa, medalhista de bronze, Raquel Cristina Benassi Pereira, têm abraçado esta iniciativa e se empenhado para estas conquistas. Segundo explica Raquel, o trabalho realizado na escola, o OBMEP na Escola, coordenado pela professora Lívia Novaes Teixeira Passos, é um dos motivos que tem possibilitado essa vitória aos alunos.

"É um grupo de alunos que se reúne de 15 em 15 dias para se preparar para a prova, além do trabalho que realizamos em sala de aula. O grupo é extra-classe, os alunos vêm à escola no período da tarde onde ficam estudando para a prova. Preparam-se quase o ano todo. Esses alunos, em especial, são alunos modelos, bem aplicados, tudo o que trabalhamos com eles funciona, são muito empenhados e gostam de ajudar os colegas", ressalta a professora.

Conforme lembra Luiz Felipe, medalhista de ouro pelo segundo ano consecutivo, ele estava bem confiante durante a realização da Olimpíada e havia se preparado mais que no ano anterior. Embora diga que não tenha estudado muito, o esforço e a dedicação com os quais realizou a prova, possibilitou que o estudante pudesse obter essa vitória que, conforme aponta, já esperava pelo menos ganhar uma medalha, apesar de não ser exatamente ouro.

"Não esperava que fosse ouro, mas uma medalha. Esta já é minha quarta participação e o nível da prova tem aumentando cada vez mais ao longo dos anos. Este ano achei a prova um pouco mais fácil, talvez por estar no 9º ano. Em relação à OBMEP, pretendo estudar mais ainda porque será menor o número de medalhas no próximo ano e mais concorrido", avalia. O adolescente já pensa em na questão profissional e pondera seguir pelo caminho das exatas.

O estudante João Pedro, que também conquistou uma medalha de prata neste e no último ano, diz que a conquista representa uma emoção muito grande e, apesar de não ser a primeira vez que participa, ele destaca que a ansiedade é sempre a mesma. "O maior desafio para mim ao realizar a prova é sempre o período que antecede e o preparo para a prova, tanto os estudos, quanto psicologicamente", destaca o aluno que sonha em ser professor de matemática.

Para João, mais que uma simples prova, a OBMEP é a oportunidade para que novas portas se abram a esses estudantes. "É a maior Olimpíada de conhecimento da Brasil e quem consegue obter bons resultados pode vir a ter boas oportunidades para os seus próprios estudos. Acredito que tive muita sorte de vir para o Paraisense e acredito que não teria uma escola melhor para eu estudar. Todos os anos que estive aqui recebi muito apoio do diretor, dos professores, dos amigos e acho que não teria sido o mesmo resultado se eu tivesse estudado em outra escola", completa.

Conforme a professora Raquel, para o currículo acadêmico do aluno, estas conquistas são muito valiosas. "Há muitos alunos que vão para fora do país estudar em detrimento da OBMEP e tivemos exemplos daqui, como o Jonas, que concluiu o Ensino Médio nos EUA", ressalta.

A aluna Ana Elisa, medalhis-ta de bronze, foi a única menina em meio aos resultados da escola e conta que recebeu a notícia com muita emoção. "Foi o primeiro ano que ganhei uma medalha e quando soube do resultado fiquei em choque porque não esperava. Foi muito emocionante e fiquei muito feliz. No último ano não me preparei muito, mas este ano já me empenhei bastante e fui focada e pensando em fazer o meu melhor", comemora.

Para o diretor da escola, Adilson Luciano Pimenta Rezende, o resultado mostra o bom trabalho que tem sido desenvolvido pelo Paraisense. "Nossos alunos são muito bons, gostam de estudar, se dedicam e nós somos apenas um suporte neste processo, porque eles se dedicam muito para conquistar esses resultados. Nossos professores também se empenham bastante para prepara esses alunos e isto coroa o nosso trabalho. Desde que surgiu a OBMEP nossos alunos tem ganhado medalhas de ouro, prata e bronze e até indo para fora do país. É uma prova muito importante e os alunos que se destacam, ganham bolsas de estudo, cursos, viagens e a oportunidade para eles é muito grande e quem sabe aproveita tem um futuro brilhante garantido", completa.