SANTA CASA

Comissão Interventora na Santa Casa tem mandato prorrogado por mais seis meses

Por: Nelson de Paula Duarte | Categoria: Saúde | 19-12-2018 08:46 | 579
Foto de Nelson P. Duarte

A Comissão Interventora na Santa Casa de São Sebastião do Paraíso que nesta quarta-feira (19/12) completa dois anos dirigindo aquela instituição, terá mandato prolongado por pelo menos mais seis meses. É o que ficou acertado na noite de segunda-feira em reunião conjunta na Prefeitura, com a participação do prefeito Walker Américo, secretário municipal de Saúde, Wandilson Bícego, membros da Comissão Interventora, assessores, e médicos. Walkinho fez um relato da situação encontrada na Santa Casa, quando da intervenção e avanços conseguidos no período. Interventores falaram sobre o novo estatuto da instituição, apresentado para registro em maio, e com registro efetivado no início deste mês.

A intervenção foi sugerida ao município pelo Ministério Público por sua 5.ª Promotoria de Justiça na comarca, apontando que à época havia “falta de assistência à saúde dos munícipes de Paraíso e região, salários de médicos e servidores estavam em atraso, a Santa Casa estava sem crédito junto a fornecedores e com dívidas elevadas, e como tal, com risco eminente de fechamento, com atendimento comprometido”.

Através de decreto o prefeito Walker Américo nomeou Adriano Rosa como interventor, foi criada uma Comissão Interventora e Conselho Interventor.

Dentre metas estabelecidas, buscou-se mudança no perfil assistencial médico-hospitalar, a fim de garantir acesso à população ao atendimento à saúde, a apresentação de diagnóstico da situação operacional econômico-financeira da instituição, a regularização de serviços, especialmente os de urgência e emergência e plantões, dentre outras.

Conforme explicou o prefeito Walker Américo, neste contexto coube ao município pagar a dívida herdada da administração anterior e buscar novos recursos. Conforme números apresentados, o trabalho conjunto resultou positivo.

Fernando Montans Alvarenga, da Comissão Interventora, falou sobre saneamento de dívidas e da elaboração do novo estatuto da Santa Casa que hoje é referência em Minas Gerais, e consta como modelo na página da Federação das Santas Casas. “Contém todos os requisitos para que o hospital funcione na sua portabilidade”, salientou.

Quanto ao estatuto, questão foi levantada pelo ortopedista Marcos Antônio de Pádua, sobre a não inclusão de médicos que atuam no Corpo Clinico da Santa Casa, como membros da Irmandade. “Em um primeiro momento eles não fazem parte da Irmandade, mas integram o Regimento Interno da Santa Casa. Têm uma cadeira no Estatuto através do diretor-clínico e diretor-técnico. São parte fundamental no hospital, como também são os enfermeiros”, disse Fernando Alvarenga.

Alvarenga explicou que a dívida da Santa Casa há dois anos era em torno de R$ 35 milhões. “Conseguimos renegociar várias, e atualmente o hospital deve algo em torno de R$ 22 milhões. O importante é que temos controle da situação, sabendo o que há de receita, e apesar das dificuldades a instituição é viável”.

O prefeito Walker Américo afirma que por sua vez a prefeitura levou serviços para a Santa Casa para que fomentasse sua área financeira. Estamos cumprindo nossa parte, num trabalho conjunto com a Comissão, médicos, Unimed, Ampara, é uma soma de esforços. Vamos continuar trabalhando para que ela permaneça viva para atender a população paraisense e da região.

Em recente reunião a promotora Manuella de  Oliveira Nunes Maranhão Ayres Fer-reira  sugeriu ao prefeito Walker Américo a prorrogação por mais um ano da intervenção na Santa Casa, mas optou por decretar por até seis meses, tempo que membros da Comissão Interventora entendem ser o necessário para novas medidas saneadoras e, possivelmente ser empossada nova diretoria.