DESPEDIDA

Marcelo Morais se despede da presidência da Câmara

Por: João Oliveira | Categoria: Política | 19-12-2018 08:48 | 487
Morais ocupou a tribuna para se despedir do seu mandato como presidente da Câmara
Morais ocupou a tribuna para se despedir do seu mandato como presidente da Câmara Foto de ASSCAM

O vereador Marcelo de Morais fez uso da tribuna da Câmara Municipal na sessão de segunda-feira (17/12) para se despedir da presidência da Casa. Fez um balanço dos dois anos em que esteve à frente dos trabalhos da Câmara e, segundo destacou, foi um momento de orgulho poder ter sido presidente e conduzir os trabalhos juntos aos demais vereadores. Ele falou dos momentos turbulentos e também do esforço da Câmara para dar transparência aos atos e também de economizar recursos para ajudar o Poder Executivo pelo o momento que ele atravessa.

“Quando assumi a presidência, muitos diziam que eu agia pouco e falava muito Aos poucos, fui demonstrando que a cadeira a qual ocupava como presidente não era minha, eu estava ali de passagem. Desta forma, começamos com alguns atos e mostrando a população que era possível fazer algo diferente dentro de uma Câmara Municipal e até mesmo dentro de uma prefeitura”, destacou.

Marcelo afirmou ainda que sofreu perseguições a nível pessoal. “Fui acusado de não defender os animais, acusado de ter uma rixa pessoal com o prefeito, de ter feito articulação com a vice-prefeita (que desmentiu tudo) para derrubar o atual chefe do Executivo; fui acusado de ter contratado funcionários fantasmas para a Câmara. Sempre fui acusado por pessoas utilizando de um celular e soltando via WhatsApp informações falsas com perfis a meu respeito, tentando manchar meu mandato na Câmara”, lembrou.

Segundo o presidente, tudo o que chegou até aos vereadores envolvendo os funcionários do município, foram feitas reuniões com eles para debater e discutir suas demandas, assim como aconteceu com o INPAR. “Nada foi feito de forma obscura na Câmara: o site de transparência da Câmara foi amplamente divulgado e as pessoas têm acesso a tudo o que acontece aqui dentro.  Quando criamos a TV Câmara, foi para dar transparência ao ato. A minha palavra é transparência”, afirmou.

Marcelo lamentou que durante o seu mandato tivesse sido poucas as vezes que a Câmara esteve lotada. “Foi uma luta diária tentando propor novos projetos, trazer crianças para conhecer a Câmara Municipal, fazer com a Escola do Legislativo funcionasse, dar transparência a todos os nossos atos. No final deste ano, quando pensei que encerraria meu mandato com uma cereja em cima do bolo, recebo a notícia que meu pai sofreu uma parada cardiorrespiratória”, disse emocionado.

Morais afirmou que quando se colocou a pré-candidato como prefeito durante uma das sessões da Câmara, é porque acreditava que poderia ser feito política voltada para o cidadão. “Quando eu agradeço aos funcionários desta Casa, é porque eles abraçam esta Casa. Quando eu peço para o cidadão acompanhar a sessão, é porque quero que ele veja quem é quem. Eu cometi erros, mas todos foram todos pautados sempre no querer o bem para as pessoas da cidade”, ressaltou. 

Conforme o vereador, durante sua presidência foram economizados pela Câmara mais de  R$ 4 milhões para ajudar ao município. “A vice-prefeita, que está presente, sabe que se esse recurso não tivesse entrado nos cofres do Município, a situação estaria muito pior. Nós poderíamos ter colocado ar-condicionado na Câmara, mas tínhamos preferido economizar; é melhor aguentar o calor agora que a falta de recursos lá na frente” disse.

Por fim, Morais agradeceu a confiança de todos, e que o próximo presidente terá o desafio de manter aquilo que foi a sua luta desde o início do seu mandato: a independência do Poder Legislativo. “Não sou o dono da verdade, nem quero ser, mas sou uma pessoa que senta com todos para debater e dialogar. Foram dois anos de muita efetividade e do qual só tenho a agradecer: a todos desta Casa e a cada cidadão que votou em mim, fazendo-me o vereador mais votado em Paraíso. Termino meu mandato de cabeça erguida, ninguém terá o gosto de dizer que foi corrupto ou que eu fui desonesto. Estou com a consciência tranquila”, completou.