QUEDA HELICÓPTERO

Piloto paraisense sobrevive a queda de helicóptero em Ubatuba

Por: Roberto Nogueira | Categoria: Acidente | 03-01-2019 16:09 | 21328
 Junto com ele estava um casal de turistas que também se feriram levemente.
Junto com ele estava um casal de turistas que também se feriram levemente. Foto de Reprodução

O piloto Breno Bolotti, de São Sebastião do Paraíso, escapou com vida de um acidente de helicóptero no dia 1º de janeiro, em Ubatuba (SP). Ele pilotava uma aeronave modelo R44, prefixo PR-RMZ, fabricado pela Robinson Helicopter, pertencente a uma empresa de táxi aéreo que fazia voos panorâmicos. Junto com ele estava um casal de turistas que também se feriram levemente. No entanto, Alessandro Correia Leite, de 42 anos, catador de latinhas que estava na rua no local da queda foi atingido e morreu na hora.

O acidente está sendo apurado pelo Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa). De acordo com o órgão, o helicóptero decolou do Aeródromo Gastão Madeira, em Ubatuba (SP) para um voo panorâmico, com um tripulante e dois passageiros. Alguns minutos após a decolagem a aeronave teve uma falha de motor e colidiu contra o solo na área urbana da cidade. Segundo informações, o piloto tentou pousar a aeronave em um campo de futebol, mas não conseguiu. O helicóptero ficou destruído.

Breno Bolotti teve escoriações leves e foi levado ao hospital onde foi submetido, por precaução a um raio-x, mas foi liberado. Vivian Carolina Cataldo, de 34 anos, e seu marido, Paulo Thiago Alves, de 38 residem em Bauru (SP) e estavam em Ubatuba para um passeio quando resolveram fazer o voo. Eles foram encaminhados para um hospital de Ubatuba e ele depois foi transferido para o Hospital Regional de Taubaté. Ambos receberam alta na quarta-feira,2, mas Paulo deverá passar por novos exames para avaliar a necessidade de uma cirurgia em um dos olhos.

Conforme informações de pessoas próximas a Breno ele está bem, mas bastante chateado com o ocorrido, principalmente pela morte de uma pessoa que estava em solo. Segundo informações do Corpo de Bombeiros, o piloto perdeu altitude e fez, tecnicamente, um pouso forçado. Houve vazamento de combustível da aeronave e uma viatura fez a contenção do líquido. Nenhum imóvel foi atingido na queda da aeronave. Com a queda partes do avião bateram nas árvores e galhos e partes da carenagem da aeronave acertaram e destruíram alguns veículos que estavam estacionados na rua.

A Força Aérea Brasileira (FAB) divulgou uma nota em que informa que investigadores do Seripa IV (Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos) investigam as causas do acidente. A Helicon, empresa que realiza os voos panorâmicos, lamentou o fato ocorrido, e informa que presta apoio aos familiares e que colabora com as investigações.