MINAS GERAIS

Romeu Zema propõe união das forças políticas por Minas

Por: Redação | Categoria: Polícia | 07-01-2019 10:09 | 225
Líder do Executivo salientou que a escolha do eleitor foi por um novo modelo de exercício da política, expresso na defesa de interesses coletivos e difusos
Líder do Executivo salientou que a escolha do eleitor foi por um novo modelo de exercício da política, expresso na defesa de interesses coletivos e difusos Foto de Luiz Santana

O governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), tomou posse  terça-feira (1º/1/19), no Plenário da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), com a promessa de austeridade e espírito público. Ele propôs um pacto de todas as forças políticas do Estado para recuperar a economia e resgatar a confiança e o orgulho dos mineiros.

A reunião solene foi conduzida pelo presidente da ALMG, deputado Adalclever Lopes (MDB), e destinou-se também à posse do vice-governador, Paulo Brant (Novo).

Romeu Zema salientou que a escolha do eleitor foi por um novo modelo de exercício da política, expresso na defesa de interesses coletivos e difusos. “Essa é a política do bem. A política que deve ser exaltada e levada adiante para enfrentarmos as dificuldades que a atual conjuntura apresenta”, afirmou.

De acordo com Zema, a previsão de déficit nas contas públicas ultrapassa R$ 30 bilhões em 2019 e, se nada for feito, passará de R$ 100 bilhões nos próximos anos. Por isso, segundo ele, será preciso dialogar com transparência a fim de distinguir o importante do fundamental. “O único caminho que nos resta é o da ação”, sintetizou.

Reformas – O novo governador deixou claro que reformas administrativas e fiscais serão levadas adiante para garantir, por exemplo, o pagamento dos servidores até o quinto dia útil e a volta dos repasses de verbas às prefeituras, além dos investimentos. “E a primeira e mais fundamental atitude a ser tomada é a de reduzir despesas, cortando na carne”, anunciou.

Legislativo será parceiro, aponta presidente
Adalclever Lopes afirmou que a posse do novo Executivo mineiro “prenuncia um momento de intensa renovação, expresso pela vontade dos eleitores, no esforço para superar uma grave crise”. Ele também destacou o papel do Legislativo como um parceiro importante do novo governador.

“Este parlamento, também em parte renovado, está pronto para continuar exercendo suas responsabilidades, atuando como interlocutor permanente da sociedade”, enfatizou. O presidente lembrou ainda a convivência democrática das variadas posições ideológicas no Legislativo e clamou pela solidariedade, entendimento e compromisso de todos.

Romeu Zema e Paulo Brant chegaram à Assembleia pela Praça Carlos Chagas, onde o governador eleito fez um pronunciamento à imprensa. Em seguida, eles passaram pelos Dragões da Inconfidência, perfilados no Espaço Democrático José Aparecido de Oliveira.

A Guarda de Honra dos Dragões da Inconfidência está na origem da Polícia Militar de Minas e simboliza os ideais libertários dos inconfidentes. Dobrados e outras músicas mineiras foram executadas, também nesse momento, pela Banda de Música do Corpo de Bombeiros.

Uma comissão de parlamentares foi designada para recepcionar o governador e o vice e conduzi-los até o Plenário. No caminho, foram saudados por prefeitos, vice-prefeitos, presidentes de câmaras e vereadores.

Romeu Zema e Paulo Brant entregaram a declaração de bens e fizeram o compromisso constitucional de defesa e cumprimento das leis. Em seguida assinaram o termo de posse lido pelo deputado Arlen Santiago (PTB), 3º-secretário da ALMG, e foram declarados empossados pelo presidente Adalclever Lopes. Eles também receberam exemplares das Constituições Federal e Estadual.

Pimentel – Pela primeira vez, a transmissão do cargo de governador também foi realizada na ALMG, integrada à cerimônia de posse. A solenidade, tradicionalmente realizada no Palácio da Liberdade, foi marcada pela entrega do Grande Colar da Inconfidência, pelo agora ex-governador Fernando Pimentel (PT) ao seu sucessor.

O novo governador, Romeu Zema, e o vice Paulo Brant deixaram o Plenário mais uma vez sob a cúpula de aço, dessa vez formada pelos cadetes do Corpo de Bombeiros. Ambos seguiram para a Cidade Administrativa, onde estava prevista solenidade de início da nova gestão.

 
Romeu Zema comanda grupo empresarial

Romeu Zema, de 54 anos, é natural de Araxá (Alto Paranaíba). Formado em Administração de Empresas, assumiu a gestão do Grupo Zema em 1991. Sob seu comando, a empresa, fundada em 1923, saltou de quatro para 430 lojas em seis estados brasileiros e hoje gera 5 mil empregos diretos e cerca de 1,5 mil indiretos em vários ramos de atividade.

O vice-governador Paulo Brant nasceu em Diamantina (Central), é engenheiro, economista e ex-professor universitário. Ele já ocupou diversas funções de liderança, entre as quais a presidência da empresa de celulose Cenibra e a Secretaria de Estado de Cultura. Também foi chefe de gabinete do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior e superintendente executivo de Relações Institucionais da Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg).
(por Assessoria de Imprensa ALMG)

Transmissão do cargo de governador é marcada pela entrega do Grande Colar da Inconfidência