VICE PREFEITA

Propus colaborar em tudo que pudesse, mas sempre fui colocada em segundo plano

Por: Redação | Categoria: Política | 12-01-2019 09:44 | 3917
Vice-prefeita Dilma Oliveira
Vice-prefeita Dilma Oliveira Foto de Reprodução

Penso que se realmente tivéssemos uma parceria de acordo com o que foi combinado durante a campanha eleitoral, hoje o município poderia estar sofrendo com menos danos à população. Temos uma alta taxa de desemprego, uma dívida pública crescente, atraso no pagamento de servidores, inclusive na área de educação, crescimento nulo, impossibilidade de construção de moradias populares, falta de investimentos em pavimentação e ruas. Na saúde temos uma estrutura muito grande, um custo enorme para o município, e com reclamações de atendimento precário. Falta de incentivo para empresas se instalarem no município gerando emprego e renda.

Quando do início do governo, tentei opinar em diversos setores, como nomeação dos secretários e cargos comissionados, me coloquei à disposição para discutirmos vários assuntos pertinentes ao andamento da administração, sempre fui preterida.

Entendo que temos uma dívida muito grande do Estado para com o município, mas se tivéssemos feito uma organização orçamentária com planejamento para futuros imprevistos, hoje estaríamos em uma situação mais confortável, como enxugar gastos públicos, como viagem do chefe do Executivo e secretários para vários lugares (passagens aéreas compradas de última hora), aluguéis de veículos desnecessários, diária e cartão corporativo para restaurantes, etc, pagamentos antecipados de ações cuja sentença condenatória não tinham sido proferidas ou não tinham trânsito em julgado da condenação. Coisas que qualquer governo ou administração, ínfima que seja, faria.

Vemos uma falta de visão administrativa, quando as opções escolhidas são as mais negativas para o município. Os decretos que foram feitos não resolveram o problema financeiro. Cortou-se baixos salários e poucos comissionados e permaneceram os altos salários intocados e alguns cargos de secretários totalmente dispensáveis, pois no momento não tem capacidade de gestão, como é o caso da Secretaria de Desenvolvimento Econômico que até o momento não apresentou qualquer resultado positivo. Apenas publicações de vagas de emprego no Facebook não geram economia, cadê as parcerias públicos privadas? Soluções criativas para a economia local?

Sempre pensei que para se governar, precisamos contar com o apoio do Poder Legislativo, os poderes têm independência, mas devem trabalhar harmônicos entre si. Sempre tive um bom relacionamento com a Câmara de Vereadores, e talvez isso incomode um pouco o representante do Executivo que por algum motivo tende a ter relação precária e hostil com a maioria dos vereadores. Não penso assim. Fui vereadora, sei a importância deste cargo na sociedade.

Me propus desde o início colaborar em tudo que pudesse, para fazer cumprir o nosso programa de governo, mas sempre fui colocada em segundo plano, a ponto do representante do Executivo, nomear secretários para representá-lo, sendo que sempre fui disposta a cumprir esta tarefa que é parte integrante das funções do meu cargo – vice-prefeita. (Todas as vezes que fui convocada seja por ofício ou extraoficial, nunca deixei de atendê-lo). Percebo claramente que a orientação dada ao setor de comunicação da prefeitura é de isolar a figura da vice-prefeita. Em todas as publicações da prefeitura é nítido como não mencionam a presença da vice-prefeita ou sequer publicam fotos em que ela aparece.

A mais recente foi na primeira noite das Congadas 2018, abertura das festividades, onde foi lida a lista de todos os membros do Executivo, até de secretários, agentes de segundo escalão, primeira dama e não estava na lista o nome “Dilma Oliveira”.  Esse erro é  perfeito para quem não concorda com a forma de administrar desse prefeito que está ocupante do cargo, por mero destino, em que coloquei meu nome de vice na chapa e conquistamos a vitória devido ao meu trabalho como vereadora, num histórico de oposição ao governo do Dr. Rêmolo Aloise, em que participei de diversas CPIs e CPPs para investigar tal governo. E também devido a minha popularidade ao meu honroso trabalho de mais de 40 anos na empresa Gonçalves Salles – Aviação.

Muitas vezes sou cobrada nos espaços públicos, nas redes sociais, na prefeitura, quando tive que me reunir com professores para dar uma posição quanto a falta de pagamentos de salários atrasados. Reuni-me com vários secretários da ordem de finanças e educação a fim de ao menos posicionar para os servidores um cronograma de acertos. Naquele momento estava em viagem particular e tão somente tomei conhecimento da sua ausência por terceiros.

Esse é o motivo (do meu desabafo) pelo qual venho a público, dizer às pessoas, que estou impossibilitada de trabalhar como vice-prefeita atuante. Gostaria de estar prestando ao município a minha contribuição como gestora de uma empresa de mais de 90 anos de grande sucesso que me fez ter experiência administrativa suficiente para poder opinar e doar todo o meu potencial de conhecimento a favor do nosso povo, da nossa comunidade, do nosso município, mas não sou detentora de poderes para ajudar a fazer uma administração digna de nossa gente.

Esclareço que na última eleição para deputados, apoiei o deputado Emidinho Madeira, que assumirá seu mandato a Câmara Federal no próximo mês. Desta forma, e por questões de orçamento, as emendas precisam ser empenhadas no ano da vigência, mas o pagamento pode ser feito nos anos seguintes, são os “restos a pagar”. Portanto o Deputado Federal iniciará seu mandato em 2019 e muito provável suas emendas para nossa cidade e região deverão ser pagas em 2020.

Estive a frente da Secretaria de Desenvolvimento Social durante mais de um ano, fazendo um trabalho voluntário e  ser a defensora da criação da Secretaria (cumprindo a legislação de acordo com o número de habitantes do município), estruturei todo o seu funcionamento, através da formação de um quadro técnico, espaço e equipamentos, com inclusive aquisição de um carro zero quilômetro, doado pelo Governo Estadual, para auxiliar no funcionamento, e atendimentos às mulheres vítimas de violência, bem como, a criação de vários projetos para atender as famílias de baixa renda e pessoas em situação de risco.

Gostaria de acrescentar que vejo a Câmara Municipal como parceira e aliada na solução dos problemas municipais e o nosso trabalho do lado do Executivo tem de ser autônomo, mas caminhando juntos. Mostra que tal parceria é tão importante que se a Câmara não tivesse antecipado a devolução de recursos para o Executivo, a folha de pagamento dos servidores estaria em situação muito pior, ou seja, a situação seria mais grave ainda.

Penso que, com todas as dificuldades inerentes a quase todas as prefeituras, se o prefeito tivesse cumprido o que combinamos no início do mandato, ou seja, trabalharmos juntos, hoje estaríamos mais fortalecidos para a tomada de decisões diante de tantos problemas da administração, mas ele optou por querer me enfraquecer, rejeitando o meu auxílio.

Esclareço que conheço perfeitamente as funções do cargo de prefeito e de vice-prefeito, jamais quis ter poderes que não competem ao meu cargo. Sei perfeitamente que a palavra final é do prefeito e ele é o ordenador de despesas, apenas me coloquei à disposição para fazermos um trabalho com diálogo e transparência, seria mais um auxiliar do seu governo e gestão.

Mas independente disso tudo, tenho trabalhado em apoio à diversos projetos sociais, esportivos e culturais do Município, com recursos próprios e ainda meu gabinete está sempre à disposição de todos, onde diariamente recebo as demandas das pessoas, e buscamos resolver estas situações junto aos órgãos do Município, onde todos os servidores e secretários, são solícitos e atendem os serviços solicitados por mim.

Parabenizo a Câmara de Vereadores, pela seriedade que vem trabalhando representando nossos Munícipes e também todos os servidores públicos do Munícipio, do Estado e da União, que vem contribuindo na prestação dos serviços públicos.

Sempre à disposição.

DILMA DE OLIVEIRA Vice- Prefeita de São Sebastião do Paraíso