5 ANOS

Criança de cinco anos é vítima de estupro no Morumbi

Por: João Oliveira | Categoria: Polícia | 15-01-2019 09:51 | 17537
Foto de Reprodução

O padrasto de uma criança de cinco anos foi denunciado por ser o principal suspeito de ter cometido o estupro da enteada; além do homem, a criança teria relatado que um amigo dele teria feito a mesma coisa. O caso foi registrado no bairro Morumbi, no sábado (12/01), quando a amiga da mãe da criança, que havia deixado ela sob seus cuidados para viajar, ao dar banho na menina percebeu que ela reclamava de incomodo nas partes íntimas. Ao conversar com a criança, esta teria relatado que o padrasto havia “mexido” em suas partes íntimas e “colocado o pipi”.

Segundo informações da Polícia Militar, uma viatura da PM se deslocou até ao local onde ouviu a história da mulher que estava cuidando da criança. Conforme relatou aos policias, a mãe da menina, que seria usuária de drogas, teria viajado para Tambaú (SP) a fim resolver problemas pessoais. Ao dar banho na menor e começar a lavar as genitálias da criança, a menina começou a reclamar de dor e incomodo no local e, ao verificar, a mulher teria constatado “que estava bastante vermelho e inchado, com a aparência e proporção não habitual para uma criança de cinco anos”.

Após o banho, a mulher teria começado a conversa com a criança na busca de entender o que havia acontecido e a menor teria relatado que o padrasto tinha mexido em sua genitália e que ele, conforme relato da menina “teria coçado o local e colocado o pipi”. O Conselho Tutelar foi acionado e, após comparecer, a criança foi encaminhada a Santa Casa. No local, a médica teria informado que precisaria acionar o médico legista e que ela teria que ficar internada, mas como o fato já havia acontecido há mais de 24h não havia necessidade de manter a internação.

Conforme a PM, a criança ficou sob a responsabilidade da mulher que denunciou o caso até segunda ordem da justiça.

A Polícia fez diligência para tentar localizar o suspeito, mas até o fechamento desta matéria ninguém havia sido preso. Ainda conforme a PM, a criança teria relatado à medica que não havia sido apenas o padrasto que havia feito aquilo, mas que amigo do padrasto fez a mesma coisa quando a criança foi levada a casa dele para “ganhar salgadinho”.

A Polícia conseguiu identificar os envolvidos, mas até o fechamento desta edição não havia conseguido efetivar a prisão dos suspeitos.