ACEP COMBUSTÍVEL

Presidente da ACEP aceita afastamento para tentar solucionar bloqueio de repasse de combustível

Por: João Oliveira | Categoria: Educação | 25-01-2019 11:37 | 5280
Diretoria temporária é escolhida para tentar manter convênio entre ACEP e Prefeitura
Diretoria temporária é escolhida para tentar manter convênio entre ACEP e Prefeitura Foto de Jornal do Sudoeste

Reunião realizada no Teatro Municipal Sebastião Furlan na tarde de quinta-feira (24/1), convocada pela Prefeitura,  teve como proposta para tentar solucionar impasse envolvendo impedimento da Prefeitura em renovar convênio com a ACEP por orientação da 5º Promotoria do Ministério Público de Minas Gerais em Paraíso o afastamento da atual diretoria da Associação.

Estiveram presentes líderes das linhas de ônibus de estudantes que viajam para outras cidades, diretores da Associação Cultural e Educacional de Paraíso (ACEP), membros da Comissão de Educação e Saúde da Câmara Municipal, prefeito Walker Américo, coordenadora da Secretaria Municipal de Ciência, Tecnologia, Educação Profissional e Ensino Superior, procurador geral do Município, e secretário de Planejamento de Gestão. A alternativa surgiu após longo debate e questionamentos por parte dos estudantes que pediram solução para o problema, já que, conforme alegado por uma das alunas presentes à reunião, “grande parte destes universitários não terá alternativa a não ser trancar semestre letivo por falta de condições de arcar com os custos da viagem”. Walker Américo negou que faltasse vontade da Prefeitura em solucionar a questão e que desde 2016 o município tem investido mais nas viagens dos alunos.

Como proposta, Walkinho sugeriu o afastamento da atual diretoria da Acep para que MP continue suas investigações sem prejudicar os estudantes. “Desde quando assumi a administração em 2017, comprometi-me com os estudantes e continuar com os repasses de combustível para ajudar nos custos dos alunos e a promessa foi cumprida. Todavia, recebemos recomendação do MP para não renovar convênio porque o MP está investigando a atual diretoria da Acep. Como alternativa, para não prejudicar os alunos, propus que o atual presidente, Anderson Martins (Carioca), que alega não ter nenhuma irregularidade na Acep, se afaste até que MP conclua esse inquérito e a Prefeitura possa manter o fornecimento de combustível”, ressalta.

Anderson Martins  diz que não existe nenhuma irregularidade e ressaltou que o já houve outras investigações que nunca apontaram nada contra a ACEP. Ele disse estar de acordo com a proposta já que esta seria uma solução viável para não prejudicar os estudantes. “Não fizemos nada de errado e já estamos entregando todas as documentações pedidas pelo MP e sentamos com o prefeito para discutir essa situação: se isso favorecer os alunos, é o que nós estávamos dispostos a fazer. Estamos encarando a situação da melhor forma possível, porque nosso intuito enquanto diretoria e fazer o melhor que estiver ao nosso alcance para o estudante”, diz.

Para a coordenadora da Secretaria Municipal de Ciência e Tecnologia e Ensino Superior, responsável pelo controle e liberação desse combustível a ACEP, Cristina Preto Oliveira Vasconcelos, foi uma reunião bastante positiva e caso a promotora responsável pelo caso aceite a proposta, isso pode beneficiar aos alunos. “Já que a ACEP está sendo investigada, se ela aceitar isso e os alunos também, que são a parte interessada no caso e conhecem toda a dinâmica é feita na Associação, acredito que é algo positivo e que pode dar certo”.

Ao final na reunião, estudantes de diferentes linhas que viajam para cidades da região se apresentaram como voluntários. Entre eles foram escolhidos como membros da Diretoria Executiva da ACEP os estudantes Weslley Dias Oliveira, Isabela de Oliveira Vieira e Cauê Márcio Rodrigues David. A comissão de acompanhamento foi composta pelos estudantes Luciano Donizete Machado, Gustavo Rodrigues Vilela, Liriane Vita Pereira Nortes, Anderson Expedito Vieira e Luana Clara Firmo Souza.

Conforme Weslley Oliveira, a principio estudantes estavam bastante desesperados já que as aulas estão prestes a começar . “A proposta do prefeito, já que até então ninguém tinha pensado em nada, será de grande valia para os alunos. É uma comissão temporária e se der certo será bom para todos nós”, destaca. O estudante salienta ainda que os estudantes têm estado há algum tempo insatisfeitos com a ACEP e que esta nova comissão será benéfica, tendo em vista o tempo de atuação do atual presidente da Associação.

Uma reunião deve ser convoca com o Ministério Público para apresentar a alternativa e se acatada pela 5º Promotoria a Prefeitura deve retomar os repasses de combustível à ACEP. Segundo o presidente da Comissão de Educação e Saúde, Vinícius Scarano, a sugestão foi muito válida, mas ainda precisa ser levada ao conhecimento da promotora. “Porém, só terá efeito se a 5º Promotoria aceitar, o que se acontecer, já na próxima semana acreditamos que tudo estará resolvido”, completa.