ASSALTO

Taxista de Paraíso é assaltado na rodovia Altino Arantes

Por: Roberto Nogueira | Categoria: Polícia | 25-01-2019 19:29 | 5199
Foto de Reprodução

 

Um taxista de São Sebastião do Paraíso que atua no ponto central na Travessa Padre Benatti foi alvo de um assalto na tarde de sexta-feira (25/1).  Conforme as primeiras informações recebidas pelo Jornal do Sudoeste, a vítima foi acionada por dois homens, que solicitaram uma corrida até o trevo de acesso a Santo Antônio da Alegria (SP). Durante a corrida os acusados teriam anunciado o assalto, levaram o carro e abandonaram o taxista.

A ocorrência estava para ser registrada no plantão policial na Delegacia de Polícia Civil de Altinópolis, onde o taxista paraisense aguardava no início da noite para lavrar o boletim de ocorrência. Um escrivão de polícia disse à reportagem que a situação ainda estava para ser apurada. “Fomos acionados de volta ao trabalho porque tivemos vários chamados agora pouco, inclusive de acidente e mais este caso”, disse. O escrivão confirmou haver entre os atendimentos a serem feitos o caso mencionado pela reportagem, mas ainda não tinha detalhes para repassar à imprensa naquele momento.

Em contato com o taxista o Jornal do Sudoeste conseguiu obter informações de que ele estava bem. Ele estava aguardando na delegacia para prestar depoimento para elaboração do BO.  “Graças a Deus estou bem, foi um grande susto”, disse. Profissional na área há quase 40 anos ele comentou que nunca tinha passado por situação semelhante.

O taxista relatou que foi procurado por dois rapazes no ponto em Paraíso. “Eles me pediram uma corrida até o trevo de acesso a Santo Antônio da Alegria e quando chegamos perto eles anunciaram o assalto”, conta.  A vítima foi ameaçada com armas brancas. “Eles estavam com uma faca cada um. Não resisti e eles fugiram sentido a Altinópolis”, detalha.

O motorista confirmou que o veículo um Vectra foi localizado e recuperado. “Encontraram o carro numa estrada entre Altinópolis e Serrana, todo batido. Os rapazes foram presos”, anunciou por telefone. 

Como ainda estava sendo ouvido na delegacia ele precisou encerrar a ligação para falar com os policiais. Até o fechamento da edição o boletim de ocorrência ainda estava em andamento e a reportagem não recebeu mais detalhes sobre o caso.