• DOS LEITORES •

Simplesmente Norma..

Por: Redação | Categoria: Do leitor | 02-02-2019 17:56 | 315
Foto de Reprodução

Fernando Santana

No descanso doce; Norma agora adormece; podemos definir o instante pulsante de sua caminhada e assim o céu agradece.

Eis que foi anunciada a chegada de uma estrela que destilou carinhos e no renascer do afeto, encontrou Fabinho!

Na terra, resta-nos lembrar de sua determinação e amor dispensado ao irmão.

Certamente, um momento lindo; o céu se abrindo vivenciou o sentido e definiu a forma; acalentando a ternura; o anjo anunciou a chegada de Norma! Aqui; choramos sua falta! Há um vazio naquela rua; uma solidão nua que desgruda do compasso e esvaziou-se aquele espaço!

Os encontros festivos em sua casa; as comemorações de seu aniversário; os telefonemas para o convite ,emoção flamejante em brasa; todos saíamos carregando  um embrulho para casa!

Uma inversão no barulho dos tempos; afinal; a aniversariante era Norma naquele momento!

 A diversão nos aninha nos idos tempos em que Norma alimentava o alento!

Culta e respeitada; mulher digna e recatada!

Sua casa enfeitada; parecia um conto animado com aconchego e abrigo, e  sorria  com a chegada dos amigos; Mulher nobre, nome de origem inglesa; na etimologia; com firmeza!

Ao contemplar as feições; mulher doce em suas aflições!

Assim; nessa terra repleta de gritos: cujo tempo dos conflitos enraivece os mortais, conhecemos  Norma no silêncio de seus ais!

Um sorriso enfeitava a emoção. No apego desmedido sorrateiro; ia aninhando o  coração que  cantava com a chegada de Fernando seu outro irmão!

Querido Fernando; sábio no ofício do viver; na dialética endossava o saber!

 Norma; nome que surgiu na Inglaterra e tornou -se popular com a ópera Norma! Tantas definições podemos instar!

Mulher dotada de grande erudição ;um verdadeiro vulcão na arte do falar!

Português espaldado na perfeita gramática e literatura; um exemplo de cultura!

As lágrimas carregam as lembranças de aventuras derradeiras!

Ao arrepio da fugacidade; Norma junto a Deus foi morar!

 Essa é  nossa existência passageira!

Descanse em paz amiga guerreira!

Helena Aristoff Advíncula Gonçalves