APC

Chora minas

Por: Fernando de Miranda Jorge | Categoria: Cultura | 13-02-2019 22:19 | 830
Fernando de Miranda Jorge
Fernando de Miranda Jorge Foto de Reprodução

Minas Gerais é uma das 27 unidades federativas do Brasil, sendo o quarto estado com a maior área territorial e o segundo em quantidade de habitantes. Está localizado na Região Sudeste do país. Sua área é de 586.528 Km² e sua população é superior a 20 milhões. Parece aula de Geografia? Só faltou dizer que sua capital é Belo Horizonte, diria o leitor.

Nada disso. E então? A intenção é demonstrar o quanto Minas está chorando. E não chora de alegria. Chora muito pela incapacidade e incompetência das autoridades governamentais no trato da coisa pública deste extenso Estado.

Minas chora pela área da educação, pela falta de respeito para com os servidores públicos, tanto da ativa como dos aposentados, com o escalonamento do pagamento integral mensal; Minas chora pelas Prefeituras Municipais, que não recebem os repasses devidos, pasmem, mineiros, a arrecadação de ICMS e IPVA dos municípios passam primeiramente para uma conta do Estado, que, por sua vez, deveria devolver às Prefeituras, e não o fazem, isso graças a uma lei criada no (des)governo de Fernando Pimentel; Minas chora ao saber que 1,7 milhão de pessoas vivem sob ameaça de rompimento de barragens, segundo um relatório da ANM (Associação Nacional de Mineração), o qual mostra que esta população mora em cidades mineiras que comportam, ao menos, uma barragem de rejeito, classificada como de alto risco, ou de alto dano potencial associado. Especialistas confirmam que isto faz com que essas pessoas vivam em constante ameaça de ser vitimizadas direta ou indiretamente por tragédias como a de BRUMADINHO - a qual era considerada de baixo risco!!! - e a de MARI-ANA.

Minas chora por BARÃO DE COCAIS, a 100 km de Belo Horizonte; chora por ITATIAUÇU, a 75 Km da capital; chora por RIO ACIMA, na Região Metropolitana de Belo Horizonte; e mais: das 369 barragens de mineração existentes em Minas Gerais, 132 estão nestas condições. E por isto, Minas chora. E chora pelo Rio das Velhas. Pelo Rio São Francisco. Pelo Rio Paraopeba. Pelo Rio Doce. Pelo Rio Piracicaba e pelo Rio Manso.

Minas chora pelo desleixo. E Minas chora por todas as vítimas, que não são poucas! Ou aprendemos a respeitar as leis, a exigir fiscalização, a ter seriedade, a exercer a cidadania, ou seremos sempre vítimas de um poder público que há muito virou as costas para a população. Minas chora. Chora muito. E muito. Por que as mudanças? Essas, só daqui a "200 anos"! Se acontecerem.  

Fernando de Miranda Jorge
Acadêmico Correspondente da APC Jacuí/MG
fmjor31@gmail.com