CRÔNICA JOEL CINTRA BORGES

Manika

Por: Joel na Balada | Categoria: Cultura | 17-02-2019 09:24 | 449
Joel Cintra Borges
Joel Cintra Borges Foto de Reprodução

Filme de origem francesa, rodado na Índia, com roteiro baseado em um fato real. Manika é uma menina hindu que, em sua escola, recebe aulas de um seminarista francês.

Tudo transcorre normalmente, até que um dia ela começa a lembrar-se, com detalhes, de sua vida anterior. Fala da cidade onde viveu, aliás, distante. Descreve com perfeição os acidentes geográficos: rios, montanhas e planícies daquela região.

Cada dia que passa, traz fatos novos, como nomes de ruas, aspecto das casas, lembrando-se até da cor daquela em que morou!

Céptico no início, o religioso dia a dia vai ficando mais intrigado.

–  Como é que aquela criança sabia tanta coisa de uma cidade onde nunca tinha ido?

Nem possibilidade de ter ouvido relatos havia, uma vez que no círculo de seus parentes e amigos, pela própria condição sócioeconômica, ninguém tinha possibilidade de fazer grandes viagens. Há que se observar, também, que na época não existiam as imensas facilidades de comunicação que temos hoje, como: cinema, internet, aparelhos celulares...

Resolvido a pôr tudo em pratos limpos, o seminarista pede a seus superiores, e aos pais da menina, permissão para irem aos lugares de que ela tanto falava. 

A viagem pela Índia mostra paisagens de grande beleza. Embora próximo da Cordilheira do Himalaia, o país é relativamente plano, não é pequeno (um terço do tamanho do Brasil) e muito povoado (um bilhão e duzentos milhões de habitantes).

A chegada à cidade é interessantíssima: Manika percorre as ruas com muita propriedade, achando facilmente a casa onde vivera, embora ela estivesse pintada com outra cor.

O dono (um senhor de meia idade, viúvo e já casado com outra mulher), olha, estupefato, a garota mexer nos armários com familiaridade, identificando pratos e talheres, minúcias só possíveis a quem ali vivera por muito tempo. No princípio, Manika cobra do ex-marido por não ter esperado por ela, como prometera, mas, finalmente, ela entende que o compromisso era de outro tempo, de outra vida, e volta para sua casa, para sua vida de criança.

A reencarnação é um dos pilares do Hinduísmo, religião e sistema de classes da quase totalidade dos indianos, onde expressões como Karma e Samsara têm a maior importância. . Karma quer dizer apenas ação. É o ato bom ou mau do indivíduo, que vai gerar reações futuras. Samsara é a roda da vida, que gira sem parar, produzindo nascimentos e renascimentos sucessivos, até que o indivíduo se purifique, não necessitando mais reencarnar-se.

O filósofo e escritor francês cunhou uma frase muito interessante sobre as origens e a evolução do homem, colhida, aliás, na filosofia hindu: “A alma dorme na pedra, sonha no vegetal, agita-se no animal e desperta no homem”.