CIÊNCIA EM MOVIMENTO

‘Ciência em Movimento’ chega a Paraíso

Por: Roberto Nogueira | Categoria: Educação | 19-02-2019 18:16 | 4080
Estudantes puderam acompanhar de perto as exposições e explicações sobre animais peçonhentos
Estudantes puderam acompanhar de perto as exposições e explicações sobre animais peçonhentos Foto de Roberto Nogueira

O Programa Ciência em Movimento realizado em parceria entre a Fundação Ezequiel Dias (Funed) e a Secretaria de Municipal de Ciência e Tecnologia está em São Sebastião do Paraíso. Desde a abertura ontem pela manhã, até a quinta-feira, 21, são aguardados cerca de mil estudantes que deverão passar pelos estandes do evento, que acontece na sede anexa a Faculdade Libertas Integradas. Além de exposição sobre animais peçonhentos como cobras, escorpiões, abelhas os alunos participam de jogos, palestras e intercâmbio de informações.

O programa Ciência em Movimento é uma iniciativa da Funed para promover a popularização da ciência. Na exposição o público tem a oportunidade de manter contato com o conhecimento científico de forma divertida e lúdica. A intenção e estimular as crianças, os estudantes e o público em geral para as ações de prevenção, como proceder diante de tantas situações, principalmente em caso de picadas e ferroadas. O projeto existe há cerca de sete anos e tem visitado mais de 150 cidades de Minas Gerais.

O caminhão do programa “Ciência em Movimento, cada viagem uma descoberta” transporta um

mundo de conhecimentos e de alegrias. Visitar as cidades mineiras levando a ciência é considerado um dos trabalhos mais gratificantes e bonitos da Funed. Em 2018, a equipe do programa visitou mais de cidades mineiras, de todas as regiões do Estado. “Agora chegou a nossa vez, estávamos na fila há dois anos, aguardando esta visita que acontece neste ano é a primeira da equipe em 2019 e oportunidade de oferecermos mais aprendizado para os nossos estudantes e a nossa população”, define a coordenadora da Secretaria Municipal de Ciência, Tecnologia, Educação Profissional e Ensino Superior, Cristina Preto Oliveira Vasconcelos.

Cristina informa ainda que os trabalhos foram iniciados na manhã de terça-feira, 19, com a realização de uma palestra. “Foram reunidos profissionais de diversos setores da Prefeitura, como a Educação e principalmente da Saúde, agentes epidemiológico, além de pessoas de outras áreas da administração municipal”, explica. Ela detalha que além das questões relacionadas a picadas de escorpiões, aranhas e abelhas, além de principalmente das ações referente ao mosquito Aedes aegypti causador das doenças, Dengue, Zica e Chicungunya. “Oferecemos oportunidade para que as pessoas possam adquirir novos conhecimentos e que participe ativamente de ações para a promoção e proteção à saúde” relata.

Durante a exposição também está programada a visita de estudantes do município, mas a visitação pode ser feita por qualquer pessoa da comunidade. “Tivemos no primeiro dia as visitas dos alunos do CRAS, da E.E. Paula Frassinetti e amanhã teremos outras escolas da rede Municipal, do Estado e Particulares no período de 7h30 até às 17 horas, com intervalo de uma hora e meia entre 12h00 e 13h30 para o almoço. “O encerramento será na quinta-feira, às 12 horas quando o pessoal irá se preparar para retornar a Belo Horizonte”, completa a coordenadora da secretaria.

Para Giselle Agostini Cotta, coordenadora do Programa na Funed, além dos olhares atentos em cada exposição, é gratificante observar a ansiedade das crianças aguardando a abertura do evento. “Vemos as carinhas de pura felicidade quando se deparam com as peças do acervo, contanto a história dos peçonhentos, dos mosquitos, das doenças”, aponta. Ela enfatizou que todos são bem vindos se que a comunidade deve mesmo comparecer e participar para a busca de novos conhecimentos e atualização daquilo que já se sabe. Giselle disse que toda a equipe foi muito bem recebida e está pronta para a troca de informações. “Nós também aprendemos um pouco da cultura de cada cidade por onde passamos é um intercâmbio importante” destaca.

Conforme a professora Kátia Mumic, da E.E. Paula Frassinetti, a opção para os alunos saírem de dentro da sala de aula e participarem das atividades extraclasses é um ganho imenso. “É importante os alunos saírem dos muros das escolas trás uma dinâmica especial para o aprendizado. Sem dúvidas que as informações obtidas serão levadas e multiplicadas em casa, na escola e na comunidade, ainda mais neste momento em que nossa cidade vive em relação a dengue, quanto mais informações certas as pessoas tiverem será melhor para todos”, opina. A estudante Priscila Camargo Vitorino, da 7ª série comentou que gostou muito da visita a exposição. “A gente aprende muita coisa nova sobre os animais, as doenças e as formas de tratamento. Vou levar as informações para casa e para os meus colegas na escola”, finaliza.

Até quinta-feira,21,alunos e a população poderão visitar as diversas atrações da feira “Ciência em Movimento”
Programa apresenta trabalhos e estudos sobre animais peçonhentos
Programa oferece palestras, amostras de animais, intercâmbio de informações jogos e brincadeiras
Até quinta-feira,21,alunos e a população poderão visitar as diversas atrações da feira Ciência em Movimento