TATUZINHO

Vereador Tatuzinho se manifesta sobre abertura de processo na Comissão de Ética da Câmara

Vereador conta que vem sendo acusado de corrupção e que isto manchou a sua imagem
Por: João Oliveira | Categoria: Política | 23-02-2019 10:28 | 892
Relator de CPP dos Ofícios, Paulo César de Souza é acusado de quebra de decoro parlamentar por apresentar
Relator de CPP dos Ofícios, Paulo César de Souza é acusado de quebra de decoro parlamentar por apresentar "defesa" do prefeito em parecer para Comissão Foto de Arquivo

O vereador Paulo César de Souza, o Tatuzinho, procurou a reportagem do Jornal do Sudoeste para se manifestar sobre abertura de processo contra ele pelo vereador Marcelo de Morais na Comissão de Ética e Decoro Parlamentar. Tatuzinho, que é membro relator de Comissão Parlamentar Processante que apura possível crime de improbidade administrativa pelo prefeito Walker Américo Oliveira, é acusado de em seu relatório a CPP ter  beneficiado o prefeito, atentando contra o seu papel de vereador.

Tatuzinho defende que está amparado pelo artigo 37 da Lei Orgânica Municipal e pelo artigo 53 da Constituição Federal e que não tem medo que seu mandato seja caçado. "A denúncia não tem embasamento. Qual o motivo da denúncia? O relatório ter partes semelhantes à defesa da prefeitura sobre a CPP? Isso não tem nada a ver. Eu não tenho a obrigação de dar explicação de quem fez o relatório para mim, é um direito que me resguarda. Fiz o relatório junto como o vereador Serginho da Sosseg que é um entendedor do assunto", defende.

O vereador diz que está protegido pela lei e cita o artigo 37 da lei orgânica, que fala da inviolabilidade das opiniões, palavras e votos no exercício do mandato. "Os vereadores não serão obrigados a testemunhar perante a Câmara sobre informações prestadas ou recebidas no exercício do mandato, nem sobre pessoas que confiaram a ele informações. No artigo 53 da Constituição, o desempenho da minha função são invioláveis, intocáveis, imunes e impuní-veis. Essa inviabilidade abrange todas as manifestações funcionais do parlamentar, seja escrita como parecer, opiniões e relatório, ou orais", destaca.

Tatuzinho disse que processo foi aberto irresponsavelmente e que agora cabe a Comissão de Ética analisar e dar seu parecer. "Vou esperar os trâmites para poder usar dos meios legais. Foi a minha imagem que ficou manchada; muitas pessoas nem sabem o que é uma Comissão de Ética e estão me acusando de cor-rupção. Estou muito ofendido, tentaram queimar a minha imagem na cidade. Eu sou um vereador sério, tenho família (que está muito abalada por isto), qualquer um pode puxar um histórico da minha vida. Qualquer um que me conhece e sabe do berço que tenho", diz.

O vereador diz que tem trabalhado muito para trazer bons projetos para Paraíso e conquistar coisas boas para a população. "Estou trabalhando seriamente, buscando recursos para nosso município e gostaria de pedir a todos que estiverem lendo o jornal, que busquem conhecer a minha trajetória e que puxassem a minha vida. Eu sou uma pessoa séria e esta situação acaba prejudicando a mim a minha família", lamenta.

Por fim, o vereador diz que foi notificado oficialmente pela Comissão de Ética e que já está preparando a defesa. "Estou muito tranquilo, sei que estou protegido pela lei. Porém, o que ficou foi o sentimento de covardia, acredito que para querermos ser melhor, não precisamos pisar em ninguém, é só querer trabalhar honestamente, e é isto o que venho fazendo", completa.