COLETA SELETIVA

Paraíso classifica-se em primeiro lugar para ter apoio técnico na coleta seletiva

Por: Roberto Nogueira | Categoria: Cidades | 23-02-2019 10:14 | 95
Foto de Reprodução

A Fundação Estadual do Meio Ambiente (Feam) divulgou na tarde de sexta-feira o resultado final do Edital nº 01/2019 que seleciona municípios para receber apoio técnico do Estado de Minas Gerais para implantação ou ampliação do programa de coleta seletiva. São Sebastião do Paraíso ficou classificado em primeiro lugar numa lista de apenas 19 cidades que serão atendidas no programa. "Sabemos das dificuldades enfrentadas e continuamos trabalhando com seriedade. Isto comprova que estamos no caminho certo e que temos muito que melhorar e este projeto do Governo ira nos ajudar neste sentido", comenta a secretária municipal de Meio Ambiente, Yara de Lourdes Souza Borges.

Paraíso foi uma das cidades que candidatou-se à proposta lançada pelo Governo do Estado no edital lançado em 21 de janeiro deste ano. A iniciativa prevê o apoio à coleta seletiva destinada às administrações municipais. O documento estabelece as condições de participação no processo seletivo para os municípios mineiros, integrantes de consórcios públicos intermunicipais, que tenham interesse em receber apoio técnico para implantação ou ampliação seu programa de coleta seletiva.

Conforme a secretária Yara Borges foram realizadas inúmeras inscrições entre os municípios mineiros. "Classificamos em primeiro porque atendemos todos os requisitos necessários que foram exigidos, estivemos pessoalmente realizando a inscrição da nossa cidade e agora certamente poderemos avançar ainda mais neste programa que estamos desenvolvendo em Paraíso", avalia. Ela reconhece que há muito por fazer. "Sem dúvidas estamos no meio de um processo evolutivo e temos muito que melhorar sim o trabalho de coleta seletiva que foi ampliado para toda a cidade e estamos realizando melhorias e aperfeiçoamentos", acrescenta a secretária.

Além de Paraíso classificada em primeiro lugar foram classificados os municípios de Governador Valadares, Itanhadu, Ipatinga, Nepomucemo, Caxambu, São Tiago e Bocaiúva. Também fazem parte da lista as cidades de Silvianópolis, Arinos, Sobrália, Rio Piracicaba, Andradas, Perdigão, São Lourenço, Campo Florido, Sacramento, Bueno Brandão e Cláudio.

Segundo o governador Romeu Zema a intenção é aprio-morar a política de gestão de resíduos. "Nosso objetivo é dar todo suporte necessário para que os municípios cumpram as metas estabelecidas pelas Políticas Estadual e Nacional de Resíduos Sólidos. Essa é uma das prioridades do Governo", destacou. Foram habilitados para a seleção apenas os municípios que encaminharem toda a documentação solicitada no edital, devidamente preenchida e assinada.

Uma comissão avaliadora analisou os documentos apresentados por cada município candidato e avaliou os documentos e informações para validação da inscrição. "Nossa equipe técnica irá até os municípios e fará a capacitação das equipes até que seja possível implantar a coleta seletiva", afirmou a coordenadora geral do Instituto Gesois, Vera Christina Vaz Lanza. De acordo com o diretor de Gestão de Resíduos da Feam, Renato Brandão, a estruturação da coleta seletiva dos municípios é um fator fundamental para a gestão ambiental, pois torna possível retirar grande parte dos resíduos destinados aos aterros sanitários e direcioná-los à cadeia produtiva. "A intenção do Estado é auxiliar os municípios para que, a longo prazo, possam manter ou até ampliar a coleta", disse.

Embora a meta do plano de trabalho estabeleça a implantação ou ampliação da coleta seletiva será desenvolvido um trabalho no sentido de minimizar a possibilidade de comprometimento no cumprimento da meta estabelecida, uma vez que as comunidades apresentam dinâmica e celeridade de resposta diferentes às etapas de implantação da Coleta Seletiva.

Com o objetivo é de potencializar os resultados esperados, os trabalhos deverão ser realizados de forma compartilhada entre os municípios selecionados integrantes dos consórcios e poderão envolver outros municípios no entorno dos selecionados, de maneira a possibilitar melhor disseminação da prática de forma regional.

Essa prática potencializa os resultados esperados, uma vez que pode mobilizar regiões em torno de objetivos comuns, viabilizando soluções conjuntas.