SAÚDE ANIMAL

Perigos caseiros comuns

Por: Rogério Calçado Martins | Categoria: Saúde | 03-03-2019 09:17 | 174
Foto de Reprodução

Fique atento aos produtos mais comuns que podem ser encontrados e ingeridos pelo animal dentro de nossa própria casa. São coisas aparentemente simples, mas que podem trazer transtornos graves ou mesmo irreparáveis. Vejamos alguns exemplos:

  • Produtos de limpeza alcalinos (solventes, diluentes de tinta): o animal passeia em cima de líquidos derramados, ou os donos usam para limpar o pêlo do animal. Ele ocasiona inflamação na pele, vômitos, diarréia, possíveis convulsões, úlceras na língua.
  • Inseticidas hidrocarbonatados com cloro: muitos produtos anti-pulgas e anti-carrapatos usam essa fórmula química, que pode ser utilizada para lavagem do animal ou mesmo em coleiras anti-pulgas. A intoxicação inclui quadro de agitação, inquietação, espasmos, salivação, convulsões, coma, em muitas vezes pode ser fatal.
  • Inseticidas organofosforados: essa química é usada com frequência em sprays inseticidas, shampoos e coleiras anti-pulgas e anti-carrapatos. O envenenamento ocasiona tremores dos músculos, salivação excessiva, dificuldades respiratórias, urina e fezes sem controle.
  • Raticidas Crimidina: geralmente o animal come o veneno ou o rato envenenado. Esse produto leva a uma hemorragia e é fatal na maioria das vezes, principalmente se o animal for muito pequeno.
  • Raticidas Estricnina: igual ao anterior, só que os sinais clínicos incluem convulsões e morte dentro de cerca de uma hora.
  • Lesmas e caracóis (metaldeído): Os animais gostam do sabor deles e muitas vezes comem-nos deliberada-mente. Pode ocorrer tremores, salivação excessiva, convulsões e coma. Em algumas vezes pode ser fatal.
  • Anticongelantes: presente nos radiadores dos carros. Os animais apreciam o sabor. Podem lamber o chão, embaixo do carro caso esse líquido esteja vazando. Ocasiona andar cambaleante, convulsões, vômitos, colapso e coma. Pode ser fatal.
  • Aspirina: Na maioria das vezes é dada ao animal pelo próprio dono, indiscriminadamente. Pode intoxicar o animal ocasionando perda de apetite, depressão, vômito com ou sem sangue.
  • Chumbo: presente em tintas, nos pesos de pesca, cachimbos velhos ou pilhas. Ocasiona vômitos, diarréia e dores abdominais, passando depois para andar cambaleante e paralisia dos membros.
  • Drogas ilegais (cocaína, maconha, heroína, crack, etc): podem tanto terem sido descobertas pelo animal quanto dadas a ele pelo seu dono. O animal intoxicado apresentará descoordenação motora, agitação, medo, pupilas dilatadas e agressividade.
  • Sedativos e antidepressivos (Lexotan, Diempax, Prozac, Rivotril, etc) : Como no caso anterior, podem tanto ter sido descobertos pelo animal quanto dados a ele pelo seu dono. A intoxicação ocasiona depressão, andar cambaleante e coma. Em todos esses casos, deve-se procurar o médico-veterinário o mais rápido possível, levando uma amostra do produto que o animal ingeriu. E se o animal tiver vomitado, leve esse vômito para ser analisado pelo médico-veterinário.

*ROGÉRIO CALÇADO MARTINS – médico-veterinário – CRMV/MG 5492
*Especialista em Clínica e Cirurgia Geral de Pequenos Animais (Pós-graduação “lato sensu”)
*Membro da ANCLIVEPA (Associação Nacional de Clínicos Veterinários de Pequenos Animais)
*Consultor Técnico do Site  www.saude animal.com.br
*Proprietário da Clínica Veterinária VETERICÃO (São Sebastião do Paraíso/MG)