CEI SAÚDE

Câmara Municipal instaura CEI para investigar Saúde em Paraíso

Por: João Oliveira | Categoria: Saúde | 13-03-2019 10:04 | 725
Abertura da CEI foi a pedido do presidente da Câmara, Lisandro Monteiro, que diz estar recendo muitas denúncias sobre o setor da Saúde
Abertura da CEI foi a pedido do presidente da Câmara, Lisandro Monteiro, que diz estar recendo muitas denúncias sobre o setor da Saúde Foto de ASSCAM

A Câmara Municipal de São Sebastião do Paraíso instaurou na sessão de segunda-feira (11/2), a pedido de seu presidente, Lisandro Monteiro, uma Comissão Especial de Inquérito (CEI), para apurar supostas irregularidades envolvendo a Prefeitura no que tange serviços prestados na área da saúde municipal à população. Entre os principais apontamentos, Monteiro destacou a falta de medicação nas unidades de saúde e farmácia básica da Unidade de Pronto Atendimento e aumento de mais de R$ 9 milhões na receita da saúde em dissonância com a prestação de serviço a comunidade.

Além disto, o vereador também destacou falta de médicos especialistas e resolutividade nas negativas por meio do SUS Fácil em serviços de neurocirurgia que tem referência em Passos e, segundo ele, tem afetado a população paraisense. O presidente da Câmara apontou ainda atrasos e falta de pagamento a médicos do município, o que segundo ele tem influenciado na falta de profissionais na área.

Por fim, disse que falta manutenção básica e investimento em equipamentos, o que está ocasionando sucateamento de diversos aparelhos em instalações na rede municipal de saúde.

"A partir dessas situações, resta destacar a importância da instalação de uma Comissão Especial de Inquérito para que sejam apurados todos esses fatos que chegam aos vereadores por meio de denúncias e insatisfação da população", disse. Os vereadores Marcelo de Morais, Luiz Benedito de Paula, José Luiz das Graças e Cidinha Cerize, Vinício Scarano e Ademir Ross também assinaram o pedido de CEI do vereador.

Lisandro chegou a citar CEI proposta pelo vereador José Luiz das Graças, que ao contrário de criticas dizendo que "não deu em nada", segundo ele fez com que muitos empresários passassem a ter confiança em fornecer para a prefeitura a partir deste trabalho realizado pela Câmara. Os vereadores Marcelo de Morais e Cidinha Cerize destacam que a partir deste trabalho, também houve maior eficiência no processo de licitação, o que também teria passado a motivar empresários que antes não tinham interesse, mas agora têm participado dos processos.

Marcelo disse que em atendimento de demanda da população, esteve na UPA recentemente onde um médico teria questionado a presença dos vereadores no local. Lá, ele disse que  faltavam medicamentos e, no dia seguinte, foram descarregas diversas caixas com medicação após denúncia feita por ele. O vereador, que fez publicação nas redes sociais criticando situação e cobrando providências, disse que publicação teria surtido efeito.

"O prefeito tem utilizado de um determinado veículo de comunicação para tentar descaracterizas as minhas denúncias. Não estou com medo desde veículo, mas peço que no mesmo modo que respeito a opinião dos outros, peço que respeitem a minha, mesmo porque eu vou ao local verificar o que está acontecendo. Não estou aqui para mentir para ninguém, mesmo porque se eu fizer isto sou passível de incorrer algumas questões bem sérias. Para o secretário de Saúde, a Saúde está OK no município, mas é claro que não está, não é ele que precisa do SUS", criticou.

Por fim, o presidente da Câmara nomeou a comissão que irá realizar os trabalhos de apuração para identificar possíveis problemas, sendo nomeado José Luiz das Graças presidente, Marcelo de Morais relator e Luiz Benedito de Paula membro.

PREFEITURA
Segundo informou o prefeito Walker Américo Oliveira "nossa administração não teme a qualquer investigação em qualquer setor da Prefeitura, pois estamos nos desdobrando para atender da melhor maneira possível a nossa população.

Portanto, quando formos citados apresentaremos as informações devidas com toda tranquilidade, como já fizemos em outras CEIs. Já com relação ao SUSFácil, não compete à Prefeitura e sim aos hospitais, o que temos procurado dialogar e tentar solucionar da melhor maneira possível", informou.