MAIS GENÉTICA

Câmara avalia projeto para implantar ‘Programa Mais Genética’ em Paraíso

Por: Roberto Nogueira | Categoria: Agricultura | 20-03-2019 09:33 | 880
Em novembro do ano passado município realizou primeiro curso de inseminação artificial visando entrada no Mais genética
Em novembro do ano passado município realizou primeiro curso de inseminação artificial visando entrada no Mais genética Foto de Roberto Nogueira

A implantação do programa de inseminação artificial de animais “Mais Genética” em São Sebastião do Paraíso foi tema de uma reunião na Câmara Municipal. A iniciativa é do vereador Ademir Ross que pretende incluir a comunidade rural paraisense no projeto que já abrange mais de 40 municípios. O objetivo é melhorar a qualidade genética dos bovinos e da bacia leiteira do Sul e Sudoeste do Estado de Minas Gerais. No final do ano passado a Prefeitura já realizou um curso neste setor também com a mesma finalidade.

O vereador Ademir Ross foi quem teve a iniciativa de promover a reunião na Câmara. Além dele participaram do encontro o presidente  Lisandro Monteiro e o vereador Luiz Benedito de Paula. Também estavam presentes representantes do deputado estadual Emidinho Madeira, idealizador do programa, que é concretizado por meio de uma parceria entre o Governo de Minas Gerais e a Prefeitura, através da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural de Minas Gerais (Emater/MG), e tem apoio do Instituto Federal do Sul de Minas – Campus Muzambinho. A reunião teve o objetivo de acertar detalhes para apresentação da proposta ao Executivo Municipal.

O programa prevê a formação de inseminadores e a montagem de uma infraestrutura que abrange desde a doação de botijões de sêmen, instrumental de inseminação e material genético para o município. Em São Sebastião do Paraíso, dez pessoas já realizaram o curso de formação.

Produtores rurais são beneficiados gratuitamente e caberá à Prefeitura a compra do sê-men e o pagamento do inseminador. “Queremos muito que a Prefeitura abrace esse programa, que beneficiará os produtores que nunca tiveram acesso e só viram uma bezerra na televisão. Todos saem ganhando”, afirmou Eliandro Lino das Graças, assessor parlamentar de Emidinho Madeira.

O deputado estadual Emidinho Madeira doou um botijão de sêmen para ser utilizado entre os produtores de gado do município. Os programas estaduais de inseminação artificial buscam garantir, além do acesso às tecnologias de melhoramento genético do rebanho leiteiro, a possibilidade de aumento da produtividade em propriedades da agricultura familiar.

Para que seja pleiteada a participação nos Programas Estaduais de Inseminação Artificial, o município deve comprovar tradição na pecuária leiteira, contar com agricultores familiares interessados e dispo-nibilizar um profissional de apoio ao produtor nas ações de inseminação. Assim, estará apto e receberá todo suporte para a gestão local do programa.

O material genético disponibilizado aos agricultores familiares é procedente de animais testados e aprovados em grandes centrais de inseminação e proveniente das três principais raças de bovinos produtores de leite: holandesa, girolando e gir leiteiro.

A entrega é feita às prefeituras que aderiram aos programas por meio de um Termo de Cessão. Com isso, um técnico regional da Emater-MG acompanha o desenvolvimento do programa enquanto o agente contratado pelo município (ou associação) é o responsável pela inseminação das vacas nas propriedades rurais.

O produto é entregue em botijões criogênicos, que armazena, por tempo indeterminado, desde que não falte nitrogênio, o sêmen do gado com indicação para a produção de leite. Em cada um desses recipientes estão armazenadas entre 100 e 150 doses de sêmen bovino.