OAB

Diretoria da 41.ª Subseção da OAB é empossada com a presença de Raimundo Cândido Jr

Por: Nelson de Paula Duarte | Categoria: Justiça | 20-03-2019 07:49 | 69
Foto de Nelson P. Duarte

Para exercer o mandato do triênio 2019 a 2021 foi empossada na noite de sábado a diretoria da 41.ª Subseção da OAB de São Sebastião do Paraíso. A solenidade realizada na Câmara Municipal teve a presença do presidente da Seccional da OAB em Minas Gerais, Raimundo Cândido Jr. Antonio Carlos Pelúcio, foi reeleito como presidente, tendo como vice o também advogado Luiz Fernando Pimenta Gil.

Inicialmente a solenidade foi presidida por Raimundo Cândido Jr que pediu fosse observado um minuto de silêncio em respeito às vítimas do rompimento da barragem da Vale, em Brumadinho. Foram empossados a diretoria e conselheiros.

Antônio Carlos Pelúcio fez agradecimentos, e destacou a atuação “proeminente” de Raimundo Cândido Jr. na defesa “dos mais elevados interesses dos advogados”. Comentou sobre a situação difícil em que ele encontra a Seccional da OAB mineira. “São nas crises que se conhece os grandes administradores e visionários, e o senhor é um deles”, disse, dirigindo-se a Raimundo Cândido Jr., que assume a entidade endividada e com uma inadimplência que chega a 38% por parte de advogados.

Raimundo Cândido Jr. salientou ter se candidato mais uma vez ao cargo “para servir à classe”, inspirado em ensinamentos legados por seu pai, que construiu a sede da OAB em Belo Horizonte, dando sua própria residência como garantia no empréstimo feito para custear a construção da sede.

Fez questão de frisar que o cargo de presidente não é remunerado, criticou aqueles que elaboram leis sem a efetiva assistência de advogados, em prejuízo dos mais fracos. Concitou aos profissionais que valorizem a classe de maneira ética, inclusive no tocante à cobrança de honorários.

Enfatizou que na maioria das comarcas não há defensores públicos, o que é suprido por advogados dativos que não têm recebido a contento por seus serviços prestados ao Estado. “Somos indispensáveis à administração da justiça”, disse Raimundo Cândido Jr.