NEUROLOGISTA

Rotina saudável é o melhor remédio contra doenças da mente, afirma neurologista

Por: João Oliveira | Categoria: Saúde | 09-04-2019 16:45 | 916
Neurologista Mário Oliva Rocha
Neurologista Mário Oliva Rocha Foto de Nelson P. Duarte

A prática de exercícios físicos, alimentação saudável, leitura assídua e atividades que estimula a mente como caça-palavras e quebra-cabeças são unanimidade quando se fala em prática preventivas de doenças para o corpo humano, sobretudo para a mente. É o que afirma o neurologista Mário Oliva Rocha, que explica que manter uma rotina saudável, além de evitar consumo de drogas e bebidas, pode prevenir, inclusive, doenças como Alzheimer e o Acidente Cerebral Vascular (AVC).

Rocha explica que além dos hábitos saudáveis, o diagnóstico preventivo é fundamental para evitar complicações. Ele comenta que no quadro neurológico, as doenças mais comuns são a meningite e encefalite. "São doenças que podem levar o indivíduo ao coma, e devem ser diagnosticado em 24 horas se possível, por isso é importante os pais estarem atentos se a criança tem vômitos, febre, se parou de comer, se tem uma dor de cabeça que causa rigidez na nuca ou hemorragia", conta.

Outra doença comum e que se não tratada a tempo pode deixar sequelas graves ou até mesmo levar ao óbito é o Acidente Cerebral Vascular (AVC). Conforme explica o neurologista, um primeiro sintoma pode ser uma dor de cabeça que a pessoa nunca sentiu ou uma dormência na boca, chegando a ficar torta. "Isso não é normal, tem que procurar um neurologista imediatamente para poder fazer o diagnóstico porque pode se tratar de um AVC ou mesmo uma paralisia facial causada por vírus ou bactéria", comenta.

O tratamento, com um diagnóstico preventivo, é encurtado e dependendo do caso, com quinze dias a pessoa pode se recuperar rapidamente. No entanto, a demora pela busca do profissional, o período de recuperação é mais longo e pode deixar sequelas irreversíveis.

"O cérebro é quem controla todos os nervos faciais. É algo que é aparentemente simples, mas que pode gerar complicações graves. Outro sinal que a pessoa não está normal e precisa procurar um médico imediatamente é quando ela apresentar fala desconexa, a trocar palavras e sentir dor de cabeça ou mesmo distúrbios visuais, que é um dos primeiros sinas da esclerose múltipla", conta.

DOENÇAS DEGENERATIVAS
Sobre as doenças degenerativas, o médico conta que nos últimos anos doenças como o Mal de Alzheimer, doença progressiva que destrói a memória e outras funções mentais importantes, e que acomete, principalmente, pessoas idosas, tem aumentado e atingindo todos os tipos de pessoas, das mais simples e sem instrução às pessoas intelectualizadas. O médico atribui a causa, principalmente, rotina tumultuada e estressante que a população vem vivendo atualmente.

"É uma doença que também existe o fato genético, mas é muito comum o fator idade. Acomete pessoas na faixa dos 60 anos e é preciso ficar muito atento, principalmente se esta pessoa está tendo lapsos de memória ou esquecimento. São coisas simples, como esquecer a panela no fogão após atender a um telefonema. É muito perigoso, a pessoa pode causar um acidente grave e até colocar a própria vida em risco", conta.

PREVENÇÃO
Não apenas doenças generativas, mas como muitas outras, conforme explica o neurologista Mario Oliva, podem ser prevenidas com uma dieta saudável e o tratamento de "doenças de base", que predispõem a pessoa a uma doença como Alzheimer; entre essas doenças está, por exemplo, a diabetes. "É uma doença que meche com a estrutura do cérebro ocasionando atrofia cerebral. Também é importante tratar a hipertenção arterial e colesterol, que precisam ser controlados previamente para não chegar a um quadro degenerativo", elucida.

O médico cita também, como forma de prevenção, a prática de uma atividade física, como a caminhada, natação ou o que a pessoa puder fazer. Ele também destaca que estimular a leitura e fazer palavras cruzadas são atividades que podem contribuir para a saúde mental, vez que trabalha e estimula a memória do indivíduo, além da música e a convivência saudável com familiares e amigos.

No caso da pessoa que já tem a doença, Mário Oliva destaca que a medicação e o apoio da família são muito importantes para que a pessoa doente possa ter o máximo possível de uma vida saudável. "É preciso paciência. O apoio da família é muito importante, principalmente, para evitar acidentes e outras situações complicadas. É uma doença que a cada ano que passa está aparecendo demais devido ao envelhecimento da população e também aos hábitos de tabagismo e consumo de álcool", completa.

ATUALIZAÇÃO
O neurologista Mário Oliva Rocha esteve recentemente em um encontro que reuniu ex-residentes de neurologia do Hospital das Clinicas de Ribeirão Preto e renomados especialistas. No evento diversos temas como AVC, Meningite, entre outras doenças da mente, foram discutidas, bem como as recentes descobertas nesta área no campo da medicina.