ZONA AZUL

Vereadores propõem revogação da lei que institui zona azul em Paraíso

Por: João Oliveira | Categoria: Política | 10-04-2019 10:12 | 7201
Foto de ASSCAM

Durante leitura dos projetos na sessão de segunda-feira (8/4) da Câmara Municipal, o tema “zona azul” voltou a ser alvo de polêmica. Desta vez, o motivo seria o descontentamento com a falta de monitores para vender bilhetes e panfletagem de material orientando a população efetuar o pagamento para não ser multada. O vereador Marcelo Morais teceu duras críticas contra a concessionária responsável pela gerência da zona azul e recomentou ao presidente da Câmara que colocasse decreto legislativo em votação, pondo fim a zona azul em Paraíso.

Os vereadores Jerônimo Aparecido da Silva e Vinício José Scarano também se manifestaram favoráveis à votação do decreto. Jerominho chegou a dizer que a população está com medo de estacionar no centro já que não encontra ninguém para fazer o pagamento da zona azul e Vinício reforçou  a fala.

“O dono desta empresa quis dizer que 90% da população é caloteira, acho que é impossível. Acredito que a empresa deva dar mais facilidade para que o cidadão pague a zona azul: ou colocar mais monitores ou ampliar os pontos de venda ou colocar pontos de venda fixos em praças e outras áreas. Alguma coisa deve ser feita. Jogar nas costa do cidadão, dizendo que ele está sendo omisso, para mim é muita arrogância para com os vereadores. Revoga a área azul e deixa esse empresário brigar na justiça”, criticou.

Scarano também criticou a falta de cumprimento com demais contratos, citando, entre eles, o transporte público coletivo. “É preciso colocar ordem nesta cidade, nenhum contrato firmado é cumprido. Para fazer justiça, tive conhecimento que a empresa de transporte coletivo chegou a ser multada por irregularidades, mas não é o que queremos, o que queremos é que seja cumprido o que está no contrato”, completou.

Os vereadores Ademir Ross e Cidinha Cerize também fizeram coro às falas dos vereadores e pediram que o decreto fosse votado já que “não estava sendo prestado à população um serviço adequado. Que se revogue esta lei e que comece tudo do zero e que seja feito algo bom”, defendeu Cidinha. Os vereadores José Luiz do Érica, Luiz Benedito de Paula e Sergio Aparecido Gomes também manifestaram descontentamento e teceram críticas em relação à oferta deste serviço no município.

DELIBERADO
O presidente da Câmara Municipal, Lisandro Monteiro, disse que tentou um diálogo, mas que não houve conversa. Diante disto, colocou projeto que revoga a zona azul para deliberação e projeto foi acatado pelo plenário, sendo encaminhado para Comissão de Finanças, Justiça e Legislação.

ERRATA DO JEROMINHO
Jerominho, que havia dito em sessão anterior que o dinheiro que a empresa pagou ao município havia sumido, disse ter sido induzido ao erro e justificou que esse valor, algo em torno de R$ 200 mil, foi gasto com melhorias no trânsito pela Secretaria de Trânsito. “Quis fazer essa justificativa, para não ficar a impressão de que acusei o ex-prefeito de ter sumido com o dinheiro, o que não aconteceu. Não quero cometer injustiças”, disse.