SÃO PAULO

Sepultado em São Paulo, Gilberto Vieira ex-padre da Congregação de N.S. do Sion

Por: Roberto Nogueira | Categoria: Cidades | 24-04-2019 10:10 | 928
Padre Gilberto Vieira
Padre Gilberto Vieira Foto de Reprodução

Na tarde de terça-feira,16, faleceu em São Paulo, o ex-padre da Congregação de Nossa Senhora de Sion, Gilberto Vieira. Ele foi um dos últimos religiosos do Seminário que havia em São Sebastião do Paraíso, prédio onde atualmente abriga a Faculdade Integradas Libertas. Após mudar-se para a capital paulista, tempos depois deixou a vida religiosa e casou-se. Por anos trabalhou na editora Abril.

Gilberto Vieira era considerado uma pessoa de personalidade forte, mas ao mesmo tempo um padre dedicado e muito correto nas suas funções. Quem teve a oportunidade de conviver com o religioso faz questão de ressaltar as suas qualidades, seu exemplo e dedicação à vida sacerdotal. É o que conta o cirurgião dentista Mauro Ferreira, ao comentar o passamento do amigo. "Ele era uma pessoa muito querida por todos nós aqui em Paraíso. Considero-o uma pessoa zelosa, prestativa", descreve ao fazer questão de ressaltar as qualidades.

O Seminário de Nossa Senhora de Sion foi inaugurado em 2 de outubro de 1942 e teve suas atividades encerradas 34 anos depois, já no ano de 1976, conforme informações do historiador Luiz Ferreira Calafiori. Posteriormente o prédio passou a abrigar as instalações da Faculdade de Ciências Econômicas, Administrativas e Contábeis (Faceac), de São Sebastião do Paraíso, que atualmente denomina-se Libertas Faculdades Integradas.

De acordo com Mauro Ferreira, enquanto padre, Gilberto foi a última pessoa a deixar o Seminário de Sion, quando o local foi fechado. "Ele trabalhou lá quando ainda existia o seminário e havia a última turma, foi a quem entregou as chaves do local para os novos donos", comenta. De acordo com Mauro Ferreira o padre fez muitas amizades pela cidade e vai deixar saudades pela boa convivência com os paraisenses.

Pessoa muito ligada a família de Mauro, até a filha dele a jornalista Daniela Ferreira também disse recordar da docilidade do religioso. "Eu era criança e quase adolescente e me lembro bem das reuniões que ele fazia com os casais, com as famílias", comenta. Ela acrescenta que Gilberto Vieira era um padre "evoluído e dinâmico" e até relembra um de seus escritos em que falava em "ir para o céu" (Veja abaixo a íntegra da poesia escrita por Gilberto Vieira).

Ainda conforme Mauro Ferreira, tempos depois que se mudou para São Paulo Gilberto teria deixado a vida religiosa e se casou. "Ele tornou-se ex-padre ao abandonar a batina. Trabalhou por muitos anos como revisor na Editora Abril, era uma pessoa muito conhecedora da Língua Portuguesa.  Casou-se, constituiu família, teve filhos. Gostava de escrever poesias", resume.

Gilberto estava hospitalizado quando de seu falecimento. A idade e as causas da morte não foram reveladas. O sepultamento ocorreu na tarde de quarta-feira,17, em São Paulo.

Poesia

Só a natureza

Só a natureza pode me oferecer
tempo bom, onde eu possa
exercer minhas atividades
com o céu descoberto.

O azul lá no alto é confortante,
dá uma sensação de liberdade
e faz um bem enorme.
É um banho de poesia livre,
que alimenta a inspiração.

Só a natureza dá um brilho especial
às nossas ideias
e nos conduz num voo solene
bem lá nas alturas
como um condor que vigia o seu mundo
cheio de orgulho e vaidade.

O tempo pode passar e
de fato, passa rapidamente.
De repente a claridade vai
perdendo o seu brilho
até que a escuridão
tome conta do espaço
e assuma o comando do universo.
(Gilberto Vieira  -  24/11/16)