GUARDINHA

Situação de Guardinha volta a gerar debate na Câmara

Por: João Oliveira | Categoria: Política | 03-05-2019 16:28 | 984
Foto de Reprodução

Vereadores criticaram durante o Grande Expediente da sessão Câmara, segunda-feira (29/4) situação de ruas e estradas de acesso ao distrito de Guardinha, a qual definiram como "vergonhosa". O caso veio a debate após o vereador Marcelo de Morais relembrar a ação dos vereadores no distrito, onde levaram o "Gabinete Itinerante", sábado (27/4), para colher demandas junto a população.

Segundo o vereador, ruas mais ao fundo do distrito não estão calçadas e disse que isto "é uma covardia com o povo de Guardinha". O vereador criticou também o reajuste do valor do IPTU para aqueles moradores e chegou a sugerir oficializar para que prefeitura justificasse o aumento de cada IPTU reajustado no município.

"Estamos indo aquele distrito, observando tudo isto e não podemos fazer nada, porque somos meros "cobradores". Só podemos fazer isto, infelizmente. Se um dia, um de nós chegar ao Poder Executivo, iremos fazer um pouco mais por aquele povo. É inaceitável presenciar toda aquela situação que presenciamos", disse.

Foi colocado requerimento em votação para que a Prefeitura encaminhe a Casa justificativa de todos os imóveis e seus respectivos aumentos. Segundo Morais é grande o número de moradores que estão reclamando desses valores. Por fim, o vereador Ademir Ross, que também reside na Guardinha, manifestou se dizendo indignado.

O vereador Vinício Scarano, destacou que com o Gabinete Itinerante esta foi a quinta fez que ele retorna ao distrito. Disse que as reclamações são sempre as mesmas e que população está descrente. "Nós entendemos, e muitos não foram ao Gabinete para reclamar o que já reclamam há muito tempo", disse.

Scarano ressaltou que demandas colhidas no local serão levadas ao conhecimento ao chefe do Poder Executivo e que são coisas simples de serem resolvidas, à exceção do asfaltamento da estrada de acesso ao distrito. "São coisas simples, como garis nas praças, médico no posto e quebra mola. É algo fácil de resolver", disse.

Vinício Scarano voltou lembrar que o papel do vereador não é executar as necessidades da população, mas cobrar a quem deve ser cobrado. "Quando eu proponho um mandato participativo, é para colocar na cabeça das pessoas a função do vereador, que é fiscalizar o Poder Executivo e elaborar projetos de lei que facilitem a vida da população e levar demandas desta mesma população ao Poder Executivo, para que ele execute. É o que temos que fazer", completou.

PREFEITURA
A reportagem do Jornal do Sudoeste entrou em contato com a Prefeitura, questionando sobre situação no distrito e se haverá alguma intervenção por meio da Secretaria de Obras, mas até o fechamento desta matéria obteve retorno.