UFLA PARAÍSO

Bloqueio no orçamento da UFLA não afetará a continuidade do Câmpus em Paraíso

Por: Nelson de Paula Duarte | Categoria: Educação | 03-05-2019 19:42 | 1779
Reitor e professor José Roberto Soares Scolforo
Reitor e professor José Roberto Soares Scolforo Foto de Arquivo Jornal do Sudoeste

O bloqueio no orçamento da Universidade Federal de Lavras - UFLA -, conforme nota de esclarecimento assinada pela Diretoria Executiva daquela instituição, "é um enorme problema para o ano de 2019". No entanto, conforme assegurou ao Jornal do Sudoeste o reitor, professor José Roberto Soares Scolforo, não afetará a continuidade das obras de construção do Câmpus em São Sebastião do Paraíso.

Conforme enfatiza o reitor, "em São Sebastião do Paraíso todas as obras já estão totalmente empenhadas com recursos do ano passado. Estão garantidas. O mesmo para a UFLA. As obras nossas não vão parar, pois os recursos já estão empenhados com recursos do ano passado. Portanto, o Câmpus em Paraíso está cem por cento garantido".

Segundo o professor José Scolforo,  "o grande problema e" o custeio tipo energia, combustível, terceirização, material de consumo, manutenção.

Na sexta-feira (3/5) no portal da UFLA foi postado comunicado dando conta que "assim como todas as Universidades e Instituições Federais que tiveram pelo menos 30% de bloqueio nos seus orçamentos de despesas discricionários, a Universidade Federal de Lavras (UFLA) também foi fortemente afetada".

" O orçamento da UFLA aprovado para 2019 na Lei Orçamentária Anual (LOA) foi de R$ 62.326.717,00. O valor refere-se a despesas discricionárias, que englobam custeio e investimentos. Desse montante, o valor que foi bloqueado, em 30/4/2019, foi de R$ 16.299.212,00, o que equivale a 26,15% do orçamento do ano. Esse bloqueio advém do corte de 5,8 bilhões definido em 29/3/2019 para o Ministério da Educação (MEC). Infelizmente, no dia 2/5/2019, tivemos notícia de um novo corte no MEC, no valor de R$ 1,59 bilhão, elevando o bloqueio total do MEC para R$ 7,4 bilhões, o que deverá ampliar o valor já bloqueado das Instituições Federais de Ensino Superior", diz a nota.

Como medida emergen-cial a UFLA suspendeu ações que podem ser adiadas, "como compras, novos empenhos, viagens nacionais e internacionais a serviço, entre outras, até que se tenha um cenário mais claro do que representam os bloqueios e se há possibilidade de re-vertê-los ou não". Caso persista o atual bloqueio e não haja outros mais adiante, os recursos disponíveis no orçamento da UFLA permitem que a Universidade siga com suas atividades previstas até setembro, diz a nota explicativa.

Em várias oportunidades em que esteve em São Sebastião do Paraíso, parecendo antever o atual quadro de bloqueios orçamentários em universidades e instituições federais, professor José Scolforo enfatizou que, caso isso viesse a ocorrer, como de fato está acontecendo, a implantação do Câmpus da Universidade Federal de Lavras em São Sebastião do Paraíso não sofreria descontinuidade, de vez que os recursos já haviam sido garantidos através de emenda parlamentar feita pelo então deputado federal, hoje presidente nacional do Sebrae, Carlos Melles.