GILBERTO AMARAL

Brasil e Paraguai

Por: Gilberto Amaral | Categoria: Brasil | 08-05-2019 12:23 | 2153
Mario Abdo e Jair Bolsonaro
Mario Abdo e Jair Bolsonaro Foto de Reprodução

A menos de 10 metros do eixo central onde será erguida a segunda ponte entre o Brasil e o Paraguai, ligando Foz do Iguaçu a Presidente Franco, os presidentes dos dois países vão se encontrar nesta sexta-feira para lançar a pedra fundamental da obra e assinar os convênios de delegação da construção e também do repasse de recursos de Itaipu.

Marco
O encontro dos presidentes Jair Bolsonaro (foto) e Mario Abdo Benítez (foto) para a solenidade de assinaturas será às 13h, no Marco das Três Fronteiras, na região do Porto Meira, em Foz do Iguaçu. Participam da cerimônia ministros de Estado, diretores e conselheiros da Itaipu, representantes do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes e do Governo do Paraná, entre outras autoridades.

Mais progresso
A segunda ponte é um sonho de mais de 30 anos e o início de sua construção foi assumida pelo presidente Bolsonaro logo depois de sua posse. A obra é considerada estruturante e movimentará a economia da região. Todos os custos serão bancados pela Itaipu, sem nenhum impacto na tarifa paga pelo consumidor de energia.

Integração
Segundo o diretor-geral brasileiro de Itaipu, general Joaquim Silva e Luna, a ponte permitirá, no futuro bem próximo, a integração de grande parte da América Latina. “Por aqui passarão riquezas que trarão desenvolvimento e renda para nossas populações.”

Reunião...
A Associação Libero-Americana de Entidades Reguladoras de Energia, presidida pelo engenheiro André Pepitone da Nóbrega (foto), diretor geral da ANEEL, está reunida na República Domicana nesta semana, em sua XXIII Reunião Anual.

...Anual
Entre outros assuntos, Pepitone assinou com o Banco Mundial um Memorando de Intenções para desenvolver ações para implementar uma melhor integração com vistas à regulação do setor de energia na América Latina e Caribe, objetivando melhorias ao consumidor.

Falta de energia
Roraima sofre com a falta de energia por causa do atraso na Linha de Transmissão entre Manaus e Boa Vista, que interligará aquele estado ao sistema nacional. O traçado dessa Linha passa por uma Reserva Indígena que é o motivo de todo o atraso.

Urgência
A Licença Ambiental está travada. No dia 30 de abril, o presidente Bolsonaro afirmou que “a linha será construída independente da manifestação indígena” e prometeu uma solução até o próximo dia 15.

Decisão
Com 715 km o Linhão atravessa 120 km de terras dos WAIMIRI-ATROARI. Em fevereiro o Ministério de Minas e Energia divulgou decisão do Conselho de Defesa Nacional classificando o projeto como estratégico para a soberania nacional.

Independência
O Estado de Roraima ficará livre da dependência da energia não confiável, da UHE de Guri na Venezuela. Esse é um projeto que está mais “MADURO” do que se possa imaginar.

Atraso
Contratado em 2011 tinha sua energização prevista para 2015. Com as medidas de agora, se sairem do papal, a energização vai para 2021. Enquanto isso, haja óleo combustível para suprir as térmicas da região.

Uma razão...
Tem muita gente dando explicações demais, quando a premissa já é por si só excludente. Precisam recordar a história. Napoleão em sua batalha, que perdeu, contra a Rússia, preparava um ataque quando um dos seu generais lhe interrompeu dizendo que iria dar 10 razões para não prosseguir com aquele ataque. Quando disse que a primeira era a de que não tinham mais munições, Napoleão respondeu de pronto: “não quero saber das outras nove”.

Manifestações
Paris está pagando o preço da fama de capital do mundo. Ativistas radicais de toda Europa desembarcam nas manifestações utilizando a violência para dar voz às reivindicações extremistas (de direita e esquerda). No tradicional desfile do 1º de maio, a cidade parecia cenário de filmes de fim-de-mundo apesar dos 7,4 mil policiais nas ruas. Além da notoriedade de Paris, os Black Blocs aproveitam a doutrina de segurança pública do país que proíbe ações colocando em risco a liberdade de manifestar e a vida do manifestante independente do quão violento ele seja.

Aquecimento global
Os vinhedos franceses, que seguem rígidas regras como a proibição do uso da irrigação, poderão utilizar novas cepas. O Instituto Nacional de Origem e Qualidade (Inao) validou a introdução de novas variedades de uvas em adaptação às alterações climáticas. Essas variedades híbridas poderão ser plantadas até ao final do ano, em algumas denominações geográficas do Sul, como Pays d’OC.

Vinho secreto
Uma fake news dizia que o presidente francês, Emmanuel Macron, estava bebendo um vinho de 2 mil euros (10 mil reais) nos Alpes enquanto os coletes amarelos manifestavam. Na verdade, na foto tirada um ano atrás, era uma garrafa de Madiran. Encontramos com Simon Capmartin (foto) produtor dessa denominação geográfica quase secreta (que está virando tendência), e ele nos explicou como é feito seu renomado vinho orgânico. Apesar da qualidade e da dificuldade de produzir um Madiran, uma excelente garrafa custa cerca de 50 euros (250 reais).

La Cour Jardin
Que tal um pátio exuberante e fora da vista junto com pássaros cantando para recebê-lo? Com seus móveis de ferro forjado e guarda-sóis vermelhos que complementam os gerânios, La Cour Jardin at Hotel Plaza Athénée é um dos lugares parisienses que a reabertura - dia 9 de maio - é ansiosamente aguardada todos os anos! É perfeito para almoço ou um jantar romântico em longas noites de verão.

Andre Pepitone
As elegantes, Adryanna e Gracinha Caiado, primeira dama de Goiás, com a irmã  Patricia Zacharias e Claudia Scodro - foto de luciana lombardi
La Cour Jardin at Hotel Plaza Athénée
Simon Capmartin
Simon Capmartin