TEMPO INTEGRAL

Atividades da Educação em Tempo Integral foram iniciadas em três escolas de Paraíso

Por: Roberto Nogueira | Categoria: Educação | 08-05-2019 12:36 | 1059
Três escolas mantidas pelo Estado em São Sebastião do Paraíso iniciaram atividades em tempo integral
Três escolas mantidas pelo Estado em São Sebastião do Paraíso iniciaram atividades em tempo integral Foto de Geanine Nogueira

Cerca de 500 escolas estaduais iniciaram nesta segunda-feira,6, a primeira etapa das atividades da Educação em Tempo Integral de 2019. As ações envolvem em toda Minas Gerais cerca de 30 mil estudantes do Ensino Fundamental e a expectativa é de que a partir do segundo semestre mais 25 mil vagas sejam retomadas. Em São Sebastião do Paraíso, conforme informação obtida junto a 35ª Superintendência Regional de Ensino são três estabelecimentos escolares que irão fornecer as atividades.

Todas as escolas estaduais que iniciaram as atividades nesta segunda-feira receberam da Secretaria de Estado de Educação (SEE) um documento orientador. O currículo para 2019 foi reestruturado a partir da perspectiva de sete Campos de Integração Curriculares. Eles contemplam áreas como Acompanhamento Pedagógico (Obrigatório); Educação para a Cidadania (Obrigatório); Projeto de Pesquisa e Inovação Tecnológica; Esporte e Lazer; Cultura e Artes; Memória e História das comunidades tradicionais; Educação Ambiental e Agroecologia.

De São Sebastião do Paraíso foram selecionadas as escolas estaduais Clóvis Salgado, Professora Inês Miranda Almeida e São João da Escócia. As escolas adotarão um currículo que expande a carga horária mínima em 20 horas aulas semanais no contra turno. Assim, os componentes curriculares correspondentes à Base Nacional Curricular Comum (BNCC) serão ofertados em um turno e no contra turno as escolas realizarão a parte flexível do currículo.

Em todo o estado, 500 escolas estaduais desenvolverão as atividades da Educação Integral no primeiro semestre de 2019. Serão atendidos 30.675 estudantes do Ensino Fundamental. O critério usado para a seleção das escolas é o indicador de Nível Socioeconômico das Escolas (Inse) até o Nível III, apontado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), a partir da participação dos estudantes na Prova Brasil. Fazem parte do Nível III do Inse os alunos com renda familiar mensal de até 1,5 salários mínimos.