GILBERTO AMARAL

Tecnologia lusa

Por: Gilberto Amaral | Categoria: Brasil | 15-05-2019 20:36 | 4737
Pedro Rebordão, o vice-governador Paco Britto, Francisco Sá e Pedro Luiz Rodrigues
Pedro Rebordão, o vice-governador Paco Britto, Francisco Sá e Pedro Luiz Rodrigues Foto de Reprodução

Tecnologia lusa
O vice-governador do Distrito Federal, Paco Britto, visitou o Polo Tecnológico de Lisboa, situado em Telheiras, nos arredores da capital portuguesa, tendo estabelecido com a Lispolis (entidade gestora do polo) a disposição de buscar estreitamento de relações com a entidade gestora do parque tecnológico do Distrito Federal, a Biotic.

Reunião
Britto manteve extensa reunião com o vice-presidente do Conselho de Administração e administrador do Polo Tecnológico de Lisboa, Francisco Nunes Sá, e com o diretor de Promoção e Inovação, Pedro Rebordão. Eles explicaram o funcionamento da entidade e sua bem-sucedida história.

Avanços
O polo tecnológico e a Lispolis foram criados em 1991 e se constituíram no primeiro centro incubador de empresas de alto conteúdo tecnológico no país, operando numa área de 12 hectares, vizinha ao campus do INETI (Instituto Nacional de Engenharia, Tecnologia e Inovação). No início, explicaram os representantes da entidade, as iniciativas eram “spin-offs” de projetos dos próprios pesquisadores do Instituto, mas logo o polo adquiriria a forma atual, mais aberta, variada e empresarial.

Experiência positiva
“Os resultados têm sido muito positivos, e nos trinta anos de nossa existência mais de 330 empresas foram incubadas e desenvolvidas em nossa área. Hoje temos aqui instaladas 123 companhias, de todos os tamanhos, empregando duas mil pessoas, a maior parte das quais de elevado grau de qualificação, e gerando faturamento na casa dos cem milhões de euros”, detalharam.

Biotic
Depois de trocar informações com seus interlocutores sobre aspectos técnicos, como a seleção de empresas e questões relacionadas à propriedade e uso dos terrenos, o vice-governador Paco Britto informou sobre o Biotic, o Parque Tecnológico de Brasília que ocupa área de 121 hectares entre a DF 003, o Parque Nacional e a Granja do Torto, e que é administrado pela Terracap para a Agência de Desenvolvimento do DF.

Gerador de empregos
O Biotic é de criação bem mais recente e se encontra numa fase mais incipiente do que seu similar português, mas o objetivo determinado pelo governador Ibaneis Rocha é de dinamizá-lo, de forma a criar no DF um polo de crescimento limpo, dinâmico e gerador de empregos de alta qualidade, disse o vice-governador.  

Parceria
Acertaram os dois lados que o diálogo será incrementado entre o polo português e o Biotic, e que um futuro entendimento formal entre as partes permitirá a troca de experiências e a formação de parcerias entre empresas, inclusive pequenas e médias, instaladas em um e outro polo.

Oportunidade
Vamos aproveitar a oportunidade da próxima reunião anual da UCCLA (União das Cidades Capitais de Língua Portuguesa), a se realizar no final de maio, para trazer uma delegação com representantes do Sebrae, o Biotic e, se possível, de universidades, para dar forma concreta a essa oportunidade de parceria que se abre. 

NA CORTE
Na reunião do presidente da Terracap, o diretor Técnico, Carlos Leal, este colunista, a assessora de Imprensa, Flávia Duarte, o presidente Gilberto Occhi e o diretor de Habitação e Regularização, Gustavo Dias. Um dos assunto foi licitação, que segue na íntegra nas notas abaixo

Licitação I
Os terrenos localizados no Riacho Fundo II, em Brasília, são o grande atrativo do Edital de Licitação nº 5/2019 da Agência de Desenvolvimento do Distrito federal (Terracap). Somente na localidade, são 24 lotes disponíveis para a venda, com opções que atendem do pequeno ao grande investidor e que permitem a implantação de atividades econômicas diversas.

Licitação II
Qualquer pessoa física ou jurídica pode participar do processo licitatório, mediante uma proposta de compra ao terreno. Aquele que propor o maior valor, tem direito de adquirir o imóvel. Os interessados devem ficar atentos aos prazos: caução até dia 29 de maio e licitação em 30 de maio. O documento, com a lista dos 88 imóveis disponíveis para a venda, pode ser acessado no site da Terracap.

Terra onde...
Meu São Sebastião do Paraíso, minha amada terra natal. Não bastasse ser um dos grandes municípios brasileiros produtores de café, com sua rica vocação para a produção agrícola, agora desponta como locomotiva na colheita do abacate, inclusive para extração do seu cobiçado azeite.

...se plantando...
Há uma variedade de espécies daquele fruto e a produção anual gira em torno de 40 mil toneladas. No “Paraíso”, são destaque o breda (foto), o híbrido e o avocado, que é o queridinho da cena gastronômica nacional do momento.

...tudo se dá
São Sebastião é para este filho, como para todos os demais brasileiros, motivo de orgulho e fé em um país que deseja crescer, gerar riqueza e alimentar o mundo. 

Abacate breda persea americana mudas
Carlos Velloso e Christine Recch
Na reunião do presidente da Terracap, o diretor Técnico, Carlos Leal, este colunista, a assessora de Imprensa, Flávia Duarte, o presidente Gilberto Occhi e o diretor de Habitação e Regularização, Gustavo Dias
O casal, Paula e o advogado Rogério França Athayde, que trocaram Salvador por Brasília, com a também jurista, Marcella Browne