ÁREA AZUL

Prefeito veta projeto que revoga Área Azul: Câmara repudia decisão

Por: João Oliveira | Categoria: Política | 22-05-2019 09:30 | 1650
Proprietário da Zona Azul denunciou Lisandro ao MP  por estar
Proprietário da Zona Azul denunciou Lisandro ao MP por estar "dizendo ao povo para não pagar área azul" Foto de ASSCAM

O prefeito Walker Américo Oliveira vetou integralmente projeto de autoria do Legislativo Municipal que revoga a área azul em São Sebastião do Paraíso.

O projeto, de iniciativa do presidente da Casa, Lisandro Monteiro, havia sido aprovado por unanimidade pelos vereadores na sessão legislativa do dia 22 de abril. Walkinho justificou que a propositura apresentava "clara e evidente inconstitucionalidade e ilegalidade".

O projeto foi pensado após diversas polêmicas envolvendo o estacionamento rotativo em Paraíso e, principalmente, após cobranças que começaram a ser feitas a usuários que não estavam pagando o uso desse estacionamento, com promessas de multas para aqueles que estavam em débito com a empresa responsável pela operação do estacionamento rotativo. Em reuniões, o diretor da empresa responsável por esta operação, Nilson Lopes, afirmou que não abriria mão desses valores.

Durante a sessão, vereadores se manifestaram insatisfeitos com a decisão do prefeito em vetar o projeto. Lisandro Monteiro, destacou que o projeto foi aprovado por unanimidade pelos vereadores e que houve tentativas de diálogo para se chegar a uma solução comum. "Tentamos de tudo. Pedimos anistia para aqueles que não pagaram, tentamos de todas as formas ter diálogo com o proprietário desta empresa e a fim de que essas cobranças começassem a acontecer de forma organizada a partir de março, mas não adiantou", disse.

O vereador presidente ressaltou que não é contra a área azul em Paraíso, mas que ela está "mal organizada". Lisandro disse ainda que em conversa com o prefeito, este deu um prazo de um mês para que a empresa se organizasse. O vereador disse ainda que foi surpreendido com denúncia por parte do proprietário da empresa, que teria entrado com ação contra ele no Ministério Público alegando que o vereador cometeu improbidade ao dizer para as pessoas não pagarem o estacionamento rotativo.

"Na ação diz ainda que eu sou um agente político e tenho o dever de cumprir a lei, caso contrário eu devo responder pelos meus atos. Eu estou cumprindo a lei, estou sentado aqui defendendo o cidadão, que estaciona, não acha o agente e depois ouve que vai ser multado. Essa empresa é que tem que se organizar primeiro para depois falar em lei", disse.

O vereador teceu duras críticas a empresa e, na ação aberta no Ministério Público contra ele, onde demonstrava uma foto de veículo pertencente a sua esposa ele defendeu: "Eu disse e volto a dizer para ninguém pagar enquanto estiver mal organizado essa área azul. Agora, neste processo, esta foto é do carro da minha esposa e estava estacionado em local onde não há área azul: na rua Professora Alice Alcântara. Perseguiram minha esposa para tirar foto do carro. Tomarei providências quanto a isto", disse.

O vereador Vinício José Scarano também se manifestou insatisfeito com o veto ao projeto e disse que só começou a se tomar providência em relação a este assunto, a partir do momento que vereadores "assumiram a bronca". "Eu serei favorável à derrubada do veto, e sabemos que o prefeito deve entrar com uma ação de inconstitucionalidade para garantir a manutenção desta empresa na área azul, que sou totalmente contra e começou a agir a partir dos nossos trabalhos e mesmo assim não está conseguindo resolver o problema. Também sou a favor da área azul, mas não da maneira desorganizada da forma que está", disse.

O vereado José Luiz das Graças também manifestou sua indignação e disse que é "inaceitável que vossa Excelência não tenha o direito nem de expressar a sua opinião e que deve ser respeitada. Fica meu apoio ao presidente da Casa", disse. O vereador Luiz Benedito de Paula também se manifestou favorável a Zona Azul "desde que seja bem administrada, de forma coerente e desde que não prejudique a população".

Após tecer criticas a atuação da empresa responsável pela manutenção da Zona Azul em Paraíso e de se solidarizar com o presidente da Câmara dizendo que já passou por mesmas situações enquanto presidente o vereador Marcelo de Morais requereu que fosse aprovada uma moção de repúdio ao proprietário da empresa Zona Azul Central Park, para deixar claro a insatisfação da Câmara com os trabalhos desempenhados pela empresa em Paraíso. A moção foi aprovada por unanimidade.