POLEPOSITION

Dia de corrida!

Por: Sérgio Magalhães | Categoria: Esporte | 26-05-2019 14:26 | 2845
Uma self deste colunista com Niki Lauda, em Interlagos
Uma self deste colunista com Niki Lauda, em Interlagos Foto de Reuters

A semana foi agitada com o fiasco da eliminação de Fernando Alonso das 500 Milhas de Indianápolis, as punições controversas dos comissários da CBA na etapa de Goiânia, da  Stock Car, e a morte de Niki Lauda que deixa um imenso vazio no paddock da Fórmula 1 e no esporte a motor.

O último domingo de maio é um clássico “Racing Day” (dia de corrida) que começa com o GP de Mônaco, avença pelas 500 Milhas de Indianápolis, e termina com as 600 Milhas de Charllote, da Nascar. Quem for até o fim terá assistido mais de 2.000 quilômetros de corridas que devem ultrapassar as 9h de transmissão ao vivo na TV.

Em Mônaco as possibilidades de a Mercedes fazer a sexta dobradinha do ano são grandes, a contar pelo desempenho de Lewis Hamilton e Valtteri Bottas nos treinos livres, mas não se pode descartar uma possível surpresa da Red Bull numa pista favorável ao modelo RB15-Honda onde a eficiência do chassi no estreito e travado Circuito de Monte Carlo conta mais que a potência do motor. E soma-se a isso o bom campeonato que Max Verstappen faz neste começo de temporada. O mesmo não se pode dizer da Ferrari que tem sérios problemas aerodinâmicos que ficaram escancarados no Azerbaijão, e na Espanha, em que Sebastian Vettel e Charles Leclerc foram sistematicamente lentos nos trechos de baixa velocidade. A menos que os técnicos da escuderia italiana tenham encontrado alguma solução de última hora, as ruas de Monte Carlo não é a melhor pista para se apostar numa vitória de Vettel ou do piloto da casa, Leclerc.

De Mônaco para Indianápolis, independente do que acontecer, as 500 Milhas já tem um vencedor: Kyle Kaiser(!). Um dia antes da classificação, Kaiser destruiu o carro da modesta Juncos Racing no muro. Os mecânicos tiveram que varar a madrugada para recolocar o carro todo branco, sem patrocínio, na pista no dia seguinte. Não havia peças de reposição e foi preciso a ajuda de outras equipes. No sábado, Kaiser fez o último tempo dentre os inscritos. O tudo ou nada para estar na corrida seria o Bump Day, no domingo, uma espécie de repescagem com os seis mais lentos disputando as últimas 3 vagas no grid.

A Juncos era séria candidata a ir embora mais cedo de Indianápolis. Mas se não existe mágica no automobilismo, milagre às vezes acontece, e o norte-americano de 23 anos, que tem nome de cerveja, operou um no domingo. Kaiser foi o último a entrar na pista com o carro remendado da Juncos e… bingo! Classificou-se na bacia das almas e ainda foi o algoz de Alonso com a McLaren, adiando o sonho do espanhol conquistar a Tríplice Coroa do automobilismo (GP de Mônaco, 24 Horas de Le Mans e 500 Milhas de Indianápolis).

É certo que a participação de Alonso nas 500 Milhas de Indianápolis teria mais peso que o desconhecido Kyle Kaiser, mas histórias assim é que tornam o automobilismo ainda mais fascinante. O esporte não vive só de campeões. No fundo do grid também se faz história, e a classificação de Kaiser já é uma vitória. Vitória de superação!

Niki Lauda
Não é todo dia que se tem a oportunidade de estar ao lado de uma lenda da F1, e eu tive dois anos atrás, em Interlagos. Nesta semana, Niki Lauda foi fazer parte do grid que tem Senna, Fangio, Clark, Hill, Hunt e tantos outros. Vai ser um belo GP no Céu!