VACINAÇÃO

Campanha de Vacinação é prorrogada e será aberta a todos os públicos

Por: João Oliveira | Categoria: Saúde | 02-06-2019 00:13 | 8028
Foto de Reprodução

A Campanha Nacional de Vacinação, que terminou na sexta-feira (31/5), não atingiu a meta esperada e a partir de segunda (3/6) será aberta a todos os públicos. No município paraisense, a cobertura vacinal dentro do que era esperado (21.450 pessoas), chegou a 79%, deste número a Vigilância conseguiu vacinar 75% das crianças, 74% das gestantes, 88% dos trabalhadores em Saúde, 152% das puérperas, 85% dos idosos, 96% dos professores e 64% de pessoas com comorbidades.

Para ter direito a vacinação, o cidadão precisa se deslocar até a uma das salas de vacinação no município e levar o cartão do SUS e o cartão de vacinação. "Isto é para que registremos a dose aplicada, já que na campanha esse registro nem sempre é necessário, principalmente quando a pessoas chega sem esses documentos. Como será uma vacina que entrará na rotina, será um pouco mais demorado, porque será necessário preencher o cartão da vacinação", explica a coordenadora da Vigilância em Saúde em São Sebastião do Paraíso, Daniela Cortez.

Aqueles que não têm o cartão do SUS, podem procurar uma Unidade de Saúde da Família para fazer esse registro. "Vamos retomar aos horários normais das salas de vacinação, das 8 às 15h30 (somente as USF que irão fechar para o almoço). Apesar de abrir a todos os grupos, iremos priorizar aquele que é alvo da Campanha. A população ainda tem muito medo da vacina, mas é uma vacina que não apresenta riscos e não tem nenhuma reação. É muito comum associarem a gripe à vacina porque neste período estamos mais susceptíveis a doença, mas não há nenhum correlação com a vacinação em si", afirma a coordenadora.

O anúncio inicial de que a vacinação seria aberta a todos os públicos foi feito pelo Ministério da Saúde. A meta do ministério é vacinar 90% do público prioritário, formado por 59,4 milhões de pessoas. Dois estados já bateram a meta de 90%: Amazonas (94,4%) e Amapá (94,7%). Os estados com menor cobertura vacinal são Rio de Janeiro (57,6%), Acre (64,9%) e São Paulo (65,4%). Em Minas, até o momento, já foram confirmados 56 casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), causados pelo vírus da Influenza (gripe). Desses casos, quatro evoluíram para o óbito. As mortes, que estão associadas ao vírus Influenza A (H1N1), ocorreram nos municípios de Belo Horizonte (2), Juiz de Fora (1) e Andrelândia (1).

Em Paraíso houve um caso suspeito de H1N1, mas caso chegou a ser descartado. Porém, conforme aponta a coordenadora da Vigilância em Saúde, serviu de alerta para que as pessoas tomem consciência sobre a falta de prevenção e que a doença é grave e pode levar a morte. "Brasileiro costuma deixar tudo para última hora e as salas neste fim de campanha estavam bem lotadas. Mas, quem ainda não se vacinou é só nos procurar para garantir sua dose", completa Daniela Cortez. 

POSTOS DE SAÚDE
O cidadão pode procurar umas das seguintes salas de vacinação: Posto de Puericultura, à rua Gedor Silveira, nas USFs da Vila Formosa, à rua Maria Abadia Amaral Malaguti, 180; USF Vila São Pedro (terças e quintas), à rua Francisco Quintino , 181; USF São Judas, à rua coronel Alfredo Serra e USF no distrito de Guardinha, à rua Germano Guerra, 445.