ADEQUAÇÕES

Área Azul deverá passar por adequações

Por: João Oliveira | Categoria: Cidades | 01-06-2019 18:02 | 153
Foto de Reprodução

Após várias polêmicas envolvendo os trabalhos realizados pela empresa Central Park, responsável por operar a Área Azul em São Sebastião do Paraíso, a Prefeitura anunciou que foram apresentadas propostas de adequações para o melhoramento da prestação dos serviços. O assunto continua rendendo debates já que a Câmara Municipal deve apreciar nos próximos dias a análise do veto do Executivo a projeto aprovado na Câmara que prevê a revogação da prestação dos serviços pela empresa.

Conforme divulgado nesta semana pela Prefeitura, após reunião do prefeito Walker Américo Oliveira com Nilson Lopes, diretor da Central Park, é que a prestação do serviço deverá passar por adequações. As melhorias abrangem desde a melhor visualização dos pontos de vendas dos bilhetes para estacionamento, aumento do número dos pontos de vendas fixos, aumento de funcionários da Área Azul para a região abrangida pelo estacionamento rotativo, melhoria na comunicação visual através de panfletos e instruções para baixar o aplicativo de vendas de tickets.

Outra medida solicitada foi a implantação de identificação na própria placa de estacionamento regulamentado, apontando quais são os pontos de vendas credenciados e onde o munícipe pode procurar pelo ticket de estacionamento rotativo mais próximo.

O prefeito também manifestou o desejo de isentar os deficientes e idosos do pagamento da Área Azul, desde que eles estejam nas vagas destinadas a eles. O representante da Central Park se comprometeu a levar a proposta para um estudo de viabilidade econômica. “Para isso, tem que existir a coerência entre as partes, mas, na medida do possível, nós atenderemos este pedido do prefeito. Estamos dispostos a executar as ações junto com o Executivo municipal para melhorar a questão da zona azul”, disse.

A empresa contratada por meio de licitação para operar a Área Azul do município, Central Park começou a operar no município em maio de 2016. Ao longo destes três anos, algumas demandas foram surgindo da população com relação ao serviço. Neste período o serviço tem sido bastante questionado e alvo de várias polêmicas, envolvendo a Câmara Municipal.

No início do ano Nilson Lopes esteve em uma reunião na Câmara onde travou um duro debate com os vereadores que ficaram insatisfeitos e indignados com algumas de suas colocações. Ato contínuo a Câmara aprovou um projeto em que pedia a Prefeitura que revogasse o contrato com a Central Park. A proposta aprovada por unanimidade da Câmara foi vetada pelo prefeito Walker Américo e gerou mais polêmica com a edição de uma “Nota de Repúdio” dos legisladores.

O diretor da empresa entrou com contra o presidente da Câmara, Lisandro Monteiro. A alegação era de que o vereador estaria descumprindo Lei Municipal e Decreto que autorizaria o estacionamento rotativo em Paraíso, além de estimular munícipes a não pagar a área azul. A denúncia foi arquivada pela promotoria de justiça no dia 22 de maio. Lisandro disse que foram feitas várias tentativas de diálogo com o empresário e que a justiça foi feita.

Nos próximos dias uma comissão especial da Câmara deverá emitir um parecer para definir se mantém ou não o veto do Executivo ao projeto aprovado pelos vereadores.