COLETA SELETIVA

Seminário apresenta diagnóstico sobre Coleta Seletiva de Paraíso

Por: Roberto Nogueira | Categoria: Cidades | 08-06-2019 10:15 | 597
Evento reuniu no CEDUC participantes de vários municípios da região
Evento reuniu no CEDUC participantes de vários municípios da região Foto de Roberto Nogueira

A Fundação Estadual do Meio Ambiente (Feam), por meio do Instituto de Gestão de Políticas Sociais (Gesois), realizou na manhã de quinta-feira, 6, no Anfiteatro do Centro de Educação Profissional do Sudoeste Mineiro (Ceduc), um seminário para apresentar o diagnóstico realizado sobre a coleta seletiva de São Sebastião do Paraíso. O evento é parte integrante do processo de ampliação e aprimoramento da coleta seletiva realizada no município. Levantamento apura que são gerados diariamente 50 toneladas de resíduos e que cada pessoa produz 0,77 gramas por dia, índice abaixo da média nacional.

Na abertura do seminário falou-se sobre o trabalho realizado pela Feam em Paraíso através do Gesois. O órgão desenvolve um programa de aprimoramento da política de gestão de resíduos no município. A intenção é dar todo suporte necessário para que os 19 municípios selecionados cumpram as metas estabelecidas pelas Políticas Estadual e Nacional de Resíduos Sólidos. São Sebastião do Paraíso foi uma das cidades que se candidataram à proposta lançada pelo Governo no início do ano. O município foi selecionado em primeiro lugar por atender todos os requisitos recomendados.

A apresentação foi realizada pela analista ambiental Carolina Monteiro Barros, do GSOIS. Ela resumiu como foram desenvolvidas todas as etapas do programa que continua em andamento. Dentro das etapas do processo de ampliação e aprimoramento da coleta seletiva consta o desenvolvimento de um diagnóstico com os catadores e trabalhadores envolvidos na coleta de recicláveis do município. Também foi produzido um relatório da geração de resíduos e potencial de comercialização de recicláveis na região, além do levantamento das legislações e posturas municipais.

A equipe formada por três subgrupos fez capacitação com os coletores e demais pessoas envolvidas no processo. Eles foram orientados sobre a geração de resíduos e potencial de comercialização dos recicláveis e avaliação das legislações e posturas municipais. Em seguida foi elaborado um relatório que consta entre os indicadores que o Município precisará apresentar para prestar conta do trabalho desenvolvido.

Também ocorreu uma visita a associação de coletores, onde foi aplicado um questionário aos associados e levantamento que também foi realizado com os catadores informais. Foram coletadas informações sobre o formato da coleta, destino dos resíduos, assim como detalhamento das leis e códigos de postura do município.

Outra ação realizada foi o estudo da composição gravimétrica, que tem por objetivo verificar a porcentagem dos resíduos gerados. Foi utilizada a metodologia adotada pela Feam considerando a quantidade de 1,6 toneladas de resíduos coletados. Ocorreram dois quarteamentos e a pesagem ocorreu a partir de uma amostra de 400 quilos. A metodologia foi repetida durante uma semana para ter a média do tipo de material recolhido.

As próximas etapas são o planejamento físico e financeiro das ações de mobilização social, de inserção de catadores e capacitação dos trabalhadores. Também deverá ser feita a elaboração da proposta de legislação de instituição do serviço de coleta seletiva (incluindo taxas de prestação e regulação do serviço) e o estabelecimento de indicadores de monitoramento técnicos e sociais. Estas medidas têm o objetivo de identificar o nível de participação da população. Mesmo já iniciada, o lançamento oficial da Coleta Seletiva em Paraíso está previsto para setembro.

O seminário integra a programação da XXª Semana Municipal do Meio Ambiente, teve ainda uma apresentação da Rede Sul e Sudoeste de Minas Gerais, com sede em Poços de Caldas, que tem a participação de 27 associações e cooperativas que atuam em 23 municípios localizados no sul do Estado.

Neste sábado, dia 8, a partir das 9h, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente realiza na Praça comendador José Honório (matriz), a entrega da premiação da coleta seletiva, que envolveu escolas e entidades, além de uma ação para recolhimento de lixo eletrônico. A programação termina no domingo, com ação de revitalização da Praça da Abadia e o trekking ecológico.

Paraisense gera 0,77 kg de resíduo por dia
Durante apresentação do diagnóstico sobre a coleta seletiva foram apresentados alguns números e informações do setor no município. O documento aponta que em São Sebastião do Paraíso são gerados por dia 50 toneladas. O serviço de limpeza urbana abrange 100% do perímetro urbano da cidade e alcança 75% da zona rural.

A pesquisa revela que cada pessoa gera por dia em torno de 0,77 quilogramas de lixo. Também foi demonstrado que no Brasil na composição do lixo encontra-se 3% de vidro, 10% de plástico, 50% orgânico, 3% metal e 9% de papel. Em Paraíso para os mesmos indicadores apurou-se que são de vidros (6,15%), plástico (10,6%), orgânico (32,91%), metal (1,4%) e papel (13,06%). Quanto aos outros produtos no Brasil o composto alcança 22%e em Paraíso 36,41%. Dos coletores 50% disseram sofrer algum tipo de preconceito pela função que exerce.

O diagnóstico destacou bastante a situação hoje vivenciada pelos catadores, as potencialidades e fragilidades do serviço em andamento e estimativas de custos para a solução dos problemas. O relatório aponta ainda que 57% são homens e que 86% tem interesse em se associar.

Outro item que chama a atenção é que72% afirma que a renda obtida com a coleta seletiva é insuficiente para a sobrevivência. A jornada de trabalho diária cumprida por 57% dos coletores fica em torno de 8ª 10 horas por dia. Conforme os questionários aplicados vários relatam serem vítimas de preconceito e que sofrem algum tipo de agressão verbal.

Dentre as potencialidades o relatório aponta que o fato de já existir um serviço de coleta seletiva já iniciada é um ponto positivo importante para a cidade. Ações como a gincana escolar, a parceria com a associação dos catadores e parceria com as empresas são outros destaques. Também foram apresentadas algumas sugestões como a criação de horta comunitária, desenvolvimento de um serviço de compostagem e instalação de pontos de entrega voluntária para recicláveis (PEV). Foi sugerido o melhoramento na estrutura da associação, auxílio para manutenção da sede e o transporte do material recolhido em caminhão baú ou aberto descartando o uso neste caso de caminhão compactador.

Para o vereador Vinício Scarano Pedroso, o evento realizado é de muita importância para toda a comunidade. “Trata-se de um seminário voltado para a coleta seletiva e a destinação adequada de resíduos, ou seja, sustentabilidade e todos nós sabemos quanto é importante. Mais importante ainda é saber agir para que a sustentabilidade melhore a vida das pessoas e isso depende muito do cidadão”, avalia. Ele destacou o trabalho desenvolvido pela Feam/GSOIS, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e todos os órgãos parceiros.

“É um trabalho muito real, com número, indicadores que precisam ser mesmo divulgados de maneira maçante para que as pessoas tenham noção da importância desta destinação correta dos resíduos produzidos em cada casa de nossa cidade”, completa. O trabalho continua e deverá gerar subsídio para um projeto de lei a ser apreciado pelo Legislativo para ampliar e melhorar o atendimento neste setor no município.

A secretária de Meio Ambiente Yara de Lourdes Souza Borges avaliou como positivo o seminário destacando que o município esta no caminho certo nas ações para com o setor. “Estamos buscando soluções no dia a dia, fazendo parcerias e conscientização junto à sociedade para que cada um faça sua parte, a fim de termos um meio ambiente equilibrado, pois esta questão é bastante séria”, disse.

Entre outras propostas apresentadas, foi sugerida a continuidade do trabalho de coleta seletiva em andamento pela cidade, com divulgação porta a porta, e que a organização e melhoria do sistema seja iniciada pelo Parque São Judas Tadeu, por ser um dos mais populosos do município.

Proposta de trabalho visa ampliar a quantidade de material destinado a coleta seletiva da cidade