SACOS DE DORMIR

Projeto de artesã busca confeccionar sacos de dormir para moradores de rua com guarda-chuvas

Por: João Oliveira | Categoria: Cidades | 08-06-2019 10:18 | 1467
Projeto nasceu a partir de uma matéria em que uma idosa fabricava os sacos com tecidos de guarda-chuva
Projeto nasceu a partir de uma matéria em que uma idosa fabricava os sacos com tecidos de guarda-chuva Foto de Geovana Gonçalves

A artesã Marjorie Rafaela Bellini, a Maju, tem feito um trabalho social que está chamando a atenção e feito a diferença em São Sebastião do Paraíso. Pensando nos moradores de rua diante do frio severo que tem feito durante a noite ela decidiu confeccionar sacos de dormir a partir do tecido de guarda-chuvas e tem feito campanha para arrecadar esse material na busca para atender 45 moradores que segundo ela existem em Paraíso.

“Esse projeto surgiu no ano passado. Eu tinha um guarda-chuva velho aqui em casa e fui pesquisar o que fazer com o tecido dele, já que eu gostava muito da estampa e não queria simplesmente jogar fora. Pesquisando, encontrei uma matéria sobre uma senhora de Santa Catarina que fazia sacos de dormir para moradores de rua com este material e então surgiu a ideia”, conta a artesã.

Conforme Maju, na reportagem não ensinava como fazer o saco de dormir, só mostrava a foto, mas mesmo assim ela decidiu colocar esta ideia em prática. “Isto aconteceu em uma semana que estava muito frio, em 2018. Fiz uma live no Facebook e pedi para as pessoas me ajudar doando guarda-chuvas quebrados para que eu pudesse fazer esses sacos de dormir. No entanto, ninguém entendeu o que eu queria fazer, e somente duas amigas me arrumaram o material”, recorda.

Apesar dos esforços, Maju percebeu que naquele inverno não conseguiria fazer que tanto pretendia. “Meu intuito era fazer esse saco para um morador que ficava no Cristo Rei, porque era o único que eu tinha um contato direto. Pensei nele em um primeiro momento. Era um senhor de idade e tinha uma barba grande, tanto que o chamávamos de Papai Noel”.

Nesse meio tempo ela começou uma verdadeira caça aos guarda-chuvas, parando em locais onde via o material abandonado e aos poucos foi juntando a quantidade de que precisava. “O frio chegou e decidi começar o trabalho com base na foto, mas o material não foi suficiente. Para mim aquilo foi a morte e chorei muito, porque achei que daria certo o projeto, mas não consegui o material para fazer ao menos um saco de dormir”, conta.

Frustrada, Marjorie decidiu recorrer às redes sociais. “Desta vez fui no grupo O Espaço é todo Seu e pedi, mas poucos entenderam. Então fui a escola da minha filha e mostrei para eles o que era e passei de sala em sala mostrando o que era o projeto e como funcionava. Fui para pedir para os 45 moradores de rua que identifiquei em Paraíso, não somente para um, que era a minha meta. Mas se eu posso ajudar um, porque não posso ajudar 45?”.

Assim, como resultado, no dia seguinte consegui a doação de oito guarda-chuvas, no entanto, para confeccionar um único saco de dormir  preciso de nove guarda-chuvas, disse. Assim, ela conseguiu realizar sua meta e gravou um vídeo mostrando o material pronto. “Eu fiquei tão feliz. Isso foi no dia 28 de maio. De lá para cá, tenho mais de 11 mil visualizações do vídeo. Não estou fazendo isso para ‘aparecer’, eu quero que essa ideia se multiplique e beneficie nossos moradores de rua e de outros estados, porque às vezes as pessoas não têm consciência de que juntando guarda-chuvas que iriam ser jogados fora, você consegue proteger do frio, alguém que não tem nada”, ressalta.

Conforme destaca, ela quer que as pessoas se inspirem e, assim como foi inspirada, que outros possam adotar a ideia e promover essa ação de solidariedade. Maju conta que montou um grupo na rede social Facebook, o Guarda-chuva com amor. Hoje já está com 120 mil pessoas do Brasil inteiro. “Uma senhora do Paraná viu meu vídeo, fez e mandou fotos para mim. Fiquei muito feliz por poder inspirar outras pessoas”, acrescenta.

No grupo, ela criou um manual de como fazer o saco de dormir, constituído em nove passos. “Vai desde o desmanche do guarda-chuva até a finalização do saco de dormir. Quem quiser fazer consegue, porque está muito bem explicado. Minha máquina de costura não é profissional, não tem custo grande para fazer este saco de dormir, apenas da linha e da energia da máquina. É muito fácil. Hoje meu objetivo é conseguir fazer os 45 sacos de dormir e que a minha iniciativa faça mais pessoas ter esta mesma ideia, que não fique somente em São Sebastião do Paraíso, que se espalhe para o Brasil e quem sabe para o mundo”, completa.

ARRECAÇÃO
Quem quiser doar guardas chuvas, pode entrar no grupo do Guarda-chuva com Amor, onde há os pontos de coleta para aqueles que têm o material velho em casa e queira contribuir para com a causa.

Quem quiser doar guardas chuvas, pode entrar no grupo do Guarda-chuva com Amor, onde há os pontos de coleta para aqueles que têm o material velho em casa e queira contribuir para com a causa.