CRÍTICAS

Solicitação de viaduto e mudanças de pontos de ônibus na BR 265 motivam críticas na Câmara

Por: João Oliveira | Categoria: Cidades | 12-06-2019 11:27 | 546
Vereador criticou não atendimento de demandas e afirmou que falta respeito com cidadãos
Vereador criticou não atendimento de demandas e afirmou que falta respeito com cidadãos Foto de ASSCAM

Uma solicitação feita no Gabinete Itinerante para a construção  de um viaduto com passarela na rodovia BR-491 bem como acostamento e instalação de redutores de velocidade gerou amplo debate na sessão da Câmara de segunda-feira (10/6). Em resposta, a AB Nascentes das Gerais informou que já existem dois viadutos e quatro passarelas na extensão urbana da BR-491 que permitem a passagem de pedestres e que a construção de redutores não é de responsabilidade da concessionária.

O vereador Luiz Benedito de Paula teceu duras críticas à resposta e afirmou que passarelas foram construídas sem estudo e que ninguém faz uso delas já que tem sido mais fácil e mais perto atravessar a pista a pé. De acordo com ele é necessária a construção de uma passarela, não no KM 2 como informado, mas no KM 3,2, ao lado de um posto de combustíveis, para facilitar o acesso de moradores ao bairro Belvedere.

 "Referente as passarelas, a última que foi requisitada foi no Belvedere, mas falam que há quatro ao longo da BR-491 no perímetro urbano. Porém, são inadequadas e foram colocadas em lugares indevidos e que não são usadas pelos pedestres, que preferem atravessar a pista. A passarela próximo a Faculdade Calafiori, só uma rampa tem 105 metros e sai na porta da faculdade, então as pessoas cruzam a pista porque é muito mais perto. Fizeram essas passarelas sem estudo e sem um levantamento de onde seriam melhor adequadas. A passarela próximo a rodoviária, ninguém usa", acrescentou.

O vereador lembrou ainda que identificou pelo menos 13 irregularidade no início do trevo da BR-491 com a MG-050 até a divisa do estado de São Paulo na BR-265. "Já anexei as fotos e vou encaminhar à Secretaria de Transporte e Obras Públicas de Minas Gerais (SETOP), para o DEER e Nascentes das Gerais, assim eles se comunicam entre si para não dizer que não estão sabendo de nada", ressaltou. Cidinha Cerize também criticou a forma como essas questões envolvendo as rodovias têm sido tratadas.

"O senhor (Luiz de Paula) identificou essas irregularidades. Está fazendo um trabalho que deve ter um engenheiro responsável para fazer", disse Cidinha. Para Luiz falta comunicação entre esses órgãos responsáveis pela manutenção dessas vias. O vereador ainda ressaltou que já fez outros alertas, como por exemplo, radar de velocidade que deveria ser próximo à entrada da Guardinha, onde morreram pessoas por conta de veículos transitando em alta velocidade.

PONTOS DE ÔNIBUS
Em outra correspondência, a AB Nascentes das Gerais também respondeu ofício ao vereador Luiz Benedito de Paula onde ele solicita "melhorias para a BR-265 como construção de um ponto de ônibus no km 650,1, entrada para o distrito de Guardinha,  transferência de ponto de ônibus no km 652,1 para km 652,7. De acordo com a empresa, referente ao primeiro pedido, informou que já existe um ponto de ônibus instalado sentido Belo Horizonte. Já em relação à transferência, a AB alega que o ponto foi executado em conformidade ao projeto executivo.

Por fim a Nascentes afirma que quanto às solicitações, a Concessionária "não detém autonomia para inclusão de obras não previstas contratualmente como também não tem permissão de alterar o que já foi realizado em obediência aos projetos executivos. Com esta premissa, eventuais pleitos e solicitações relativamente a obras devem ser direcionados à Setop", finaliza.

Luiz destacou que a existência do ponto de ônibus é para aqueles que vão para São Sebastião do Paraíso. "Eu pedi um ponto para quem vai de Paraíso sentido Altinópolis. Como a pessoa fica no ponto e, assim que avistar o ônibus, atravessa a pista correndo para entrar no ônibus em local que é perigoso e já fez vítimas? Isto se chama pouca vontade, disse o vereador. Sobre o segundo pedido, para a empresa está adequado, mas não é porque são os filhos deles que andam 600 metros carregando criança no colo", acrescenta.

De acordo com o vereador, o ponto próximo à entrada da Faxina já existia desde a década de 60 e foi mudado. "Constam todas essas considerações no pedido que fiz. Tem que ter respeito e consideração com os trabalhadores rurais e colocar esse ponto no lugar certo. Tudo isto se chama "falta de vontade"", completou Luiz de Paula.