SAFRA 2019/2020

Goveno lança Plano de Safra 2019/2020 para cafeicultura

Por: Roberto Nogueira | Categoria: Agricultura | 23-06-2019 19:00 | 1550
 Deputado Emidinho preside reunião da Comissão Parlamentar da cafeicultura
Deputado Emidinho preside reunião da Comissão Parlamentar da cafeicultura Foto de Divulgação

O Governo Federal lançou durante cerimônia realizada no Palácio do Planalto, na terça-feira,18,, o Plano Safra 2019/2020 que irá atender pequenos, médios e grandes produtores, todos juntos em um único plano.

O deputado federal Emidinho Madeira, membro da Frente Parlamentar da Agricultura e presidente da Frente Parlamentar da Cafeicultura participou da solenidade, pregou a união e reafirmou seu compromisso com o setor cafeeiro.

Conforme anúncio foram liberados R$ 225,59 bilhões. Deste total, R$ 222,74 bilhões são para crédito rural, sendo R$ 169,33 bilhões para custeio, comercialização e industrialização. Outros R$ 53,41 bilhões para investimento. Agricultores que se enquadram no Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) terão taxas de juro entre 3% e 4,6% ao ano. Para pequenos que estão fora do Pronaf e médios, o índice é de 6% ao ano. Os demais terão juros de 8% ao ano.

Segundo a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, pequenos e médios produtores foram prioridades do governo. "Pela primeira vez, o Tesouro Nacional disponibiliza mais recursos para subvenção do Pronaf do que para dos demais. São R$ 5 bilhões para equalizar juros, valor recorde", disse. De acordo com o Ministério da Agricultura, foram aprovados novos preços mínimos para a safra 2019/2020, com reajuste médio de 7% para os principais produtos. "Esses valores tiveram como referência os custos das lavouras, os preços nos mercados internacionais e a perspectiva das taxas de câmbio", destaca a pasta.

O presidente Jair Bolsonaro elogiou o trabalho conjunto da equipe de governo para a construção do Plano Safra e destacou inovações como a disponibilização de recursos, R$ 500 milhões, para os pequenos produtores aplicarem na construção e reforma de suas casas. "Foi uma construção que passou por muita gente. Eu fico muito feliz de estar à frente de um governo em que todos se falam entre si. Aqui não há briga política. A briga é apenas para que, cada um, possa melhor servir o seu Brasil", afirmou Bolsonaro.